A musica na corrida.

 

Para muitos corredores, o aliado feito nas corridas é o MP3 ou ipod. Em Portugal, boa parte dos atletas treina só. A música é assim uma companhia Movidos com muita música, as batidas sonoras são mais um incentivo para a corrida. Os atletas que ouvem música quando correm, conhecem muito bem os efeitos motivacionais que uma boa seleção pode produzir no seu treino, ajudando inclusive a melhorar a sua performance.

Existem hoje estudos que comprovam os benefícios da música no desporto, além de exemplos de atletas de alto rendimento que fazem uso disso em competições importantes, como o nadador norte-americano Michael Phelps, que em todas as provas que disputou nos JO de Pequim, estava lá sempre com o seu iPod.

 Michael Phelps

No caso de Phelps, a música é um estímulo para aumentar a adrenalina à beira da piscina antes da competição. “Bati o meu primeiro recorde mundial ouvindo música antes. Naquele dia, percebi que estava diferente na piscina. A música deixou-me agitado, não pensei em mais nada a não ser em nadar”, afirmou Phelps a uma televisão norte-americana. O impacto da música associado ao exercício, pode aumentar até 20% a performance do atleta se a seleção musical for bem escolhida

Haile Gebrselassie

Outro exemplo famoso é o do etíope Haile Gebrselassie, que procurava bater o recorde dos 2.000 metros em pista coberta e descobriu que se corresse ao ritmo da música Scatman, de John Scatman, tal poderia ajudar a atingir o seu objetivo. Isso aconteceu há mais de vinte anos quando pouco ou nada se falava a respeito dos benefícios da música para a performance. Dito e feito. Em Fevereiro de 1988, o atual recordista do mundo da maratona bateu o recorde mundial dos 2.000 metros em pista coberta ao som de Scatman. Quando lhe perguntaram o porquê da escolha daquela música, Gebreselassie disse que o ritmo é um pouco mais rápido do que o das suas pernas. “A música motiva-me e faz-me correr mais rápido”.

Paula Radcliffe

A também recordista mundial da maratona, a inglesa Paula Radcliffe, é também adepta da música no treino. Segundo ela, o seu uso é muito útil para quebrar a monotonia, principalmente quando faz exercícios de fortalecimento no ginásio ou mesmo em atividades indoor de cross-training como bicicleta, elíptica ou máquinas de ski. Aumento até 20% da performance Um estudo elaborado por Costas Karageorghis, professor de psicologia da Universidade de Brunel, em Londres, mostrou que o impacto da música associado ao exercício, pode aumentar até 20% a performance do atleta se a seleção musical [ar bem escolhida. Segundo o investigador, “pode ser essa a diferença entre chegar e primeiro ou na quarta ou quinta posições”. 

O desempenho dos indivíduos que foram avaliados por Karageorghis aumentava quando a música obedecia a certas características. Para encontrar uma seleção musical, o atleta deve ter em conta o seu gosto musical. Karageorghis conseguiu estabelecer uma relação entre os batimentos cardíacos e os da música. Para chegar à “fórmula da música perfeita” para cada corrida, relacionou-se a frequência cardíaca máxima a quatro fatores principais que determinam como uma música nos influencia durante a corrida: 

1) Batidas por minuto

O primeiro desses fatores é o ritmo, fundamental para determinar como responderemos a uma determinada música. O aspecto fundamental do ritmo é a velocidade de uma música, que pode ser determinada pelo seu número de batidas por minuto (bpm). Mas não se pode pensar que quanto mais rápida for a música, mais rápida será a corrida pois há limites. Num estudo efetuado,verificou-se que as músicas de até 150 bpm beneficiam os atletas. Acima disso, os resultados estabilizam.

2) Melodia e Harmonia

Karageorghis afirma que músicas motivacionais têm melodias fortes e uma estrutura harmónica estimulante.

3) Contexto

Os outros dois factores são chamados de externos pois referem-se à maneira como o ouvinte interpreta a música. O mais importante deles é o impacto cultural que a música exerce. Segundo os investigadores, tendemos a responder melhor a músicas com as quais estamos acostumados porque os seus efeitos positivos foram condicionados.

4) Significado 

O segundo factor externo, chamado de associação extramusical, explica as conexões que estabelecemos com determinadas músicas. Elas podem não fazer parte do nosso dia a dia mas têm um significado comum para a
maioria das pessoas. A música precisa de ter um ritmo forte, deve ter entre 120 e 150 batidas por minuto e ser estimulante Deve assim lembrar-se quando pensar na selecção das suas músicas preferidas para o treino seguinte: a música precisa de ter um ritmo fone, deve ter entre 120 e 150 batidas por minuto e ser estimulante. Ela deve também evocar os sentimentos que precisa nesse treino, como animação, garra ou resistência, por exemplo.

Sugestões para seleccionar as músicas do próximo treino

1) A música deve motivar os sentimentos de que precisa para o treino, seja a tranquilidade ou não, aquilo que mais quer no momento.

2) Preste atenção para que a velocidade e o ritmo da música sejam parecidos com o seu ritmo. Assim, consegue coordenar as suas passadas com as batidas da música.

3) Músicas com menos batidas por minuto são melhores para corridas leves. Se for para suar a camisola a sério, prefira aquelas que têm entre 130 e 150 bpm.

4) A batida da música deve fazer com que tenha vontade de correr.

5) Quanto mais positiva for a mensagem da letra, melhor.

6) Escolha músicas familiares aos seus ouvidos, de géneros com os quais se identifica.

Mas correr com “headfones” nos ouvidos nem sempre é bom. 

Distraídas com a música, a maioria das pessoas não se dá conta dos perigos à sua volta. Não ouvem a buzina de um carro ou de uma mata ou qualquer outro som que as possa alerta r. Esse tipo de acidentes acontece normalmente nas vias públicas. A americana Cheryl Risse por exemplo, foi atropelada por um comboio quando treinava na Florida. 

De acordo com um jornal local, ela caiu na linha do comboio e não se apercebeu que a locomotiva estava próxima. Cheryl estava com o seu MP3 ligado e ficou com as suas duas pernas amputadas. Por essa razão, vários treinadores não gostam que os seus atletas corram com música. Há mesmo quem pense que a música também prejudica o desempenho do atleta. Num treino com séries por exemplo, o atleta tem de se preocupar com coisas mais importantes. Mas quem usa o MP3 diz que a música ajuda psicologicamente. Numa competição, a música pode distrair e atrapalhar pois com ela, não prestamos atenção ao ritmo e nas passagens dos quilómetros. Nos treinos leves e longos, a música acaba por ser um aliado psicológico. 

Ela pode ainda afastar o cansaço. Embora seja certo e haja muitos exemplos em como a música bem escolhida interfere de forma positiva na performance do atleta, no momento de optar por colocar auscultadores nos ouvidos e ligar o som no máximo volume para correr, há a considerar os prós e os contras.

Os prós: 

- A música tem um poder estimulante e motivacional. Ela ajuda o atleta a ir mais adiante num treino quando poderia desistir. Exercícios que poderiam ser monótonos, tornam-se mais estimulantes com o uso da música, já que desvia a atenção da mente para o som.
– Além de ter um poder motivacional antes e durante o exercício, a música serve também para relaxar a mente. Isso pode acontecer durante exercícios mais leves ou mesmo no aquecimento e no arrefecimente.
– A música coloca diversão na sua rotina de treino, principalmente quando a lista é bem seleccionada e combina bem com o seu treino.

Os contras:

Apesar de ser estimulante e motivacional, é preciso ter cuidado para não desviar a atenção do movimento e da técnica do exercício. O atleta pode ficar muito empolgado e sair do ritmo, correndo o risco de se lesionar e treinar fora daquilo que é a sua capacidade. Quando se está com os auscultadores nos ouvidos, é preciso ter atenção redobrada com o que acontece no ambiente à sua volta, principalmente para quem corre na estrada, pois deve ter muito cuidado com os carros. Deve-se correr sempre na direcção contrária dos carros para poder viabilizar o movimento. Uma pessoa que treine muito com música pode achar monótono fazer o mesmo treino sem música. Lembre-se de que há provas no estrangeiro em que não é permitido o uso de auscultadores no ouvido. Por isso, tenha a certeza de que saberá lidar com isso numa competição.

Karageorghis sugere ainda que o corredor não escute música em todos os treinos. Segundo ele, o ideal é deixar o MP3 em casa uma vez por semana. Tal permitirá maximizar os benefícios da música e permitir que se corra mais livremente. Nos treinos técnicos como nas séries, a música também pode atrapalhar. A música pode ser assim um aliado na hora do treino ou da prova. Mas também se pode transformar em vilão. Cabe ao atleta consciencializar-se e procurar o que é melhor para si, sempre com cuidado. Do ponto de vista de segurança, ele deve usar o MP3 em local abrigado, nos parques, nas matas e outros lugares onde não haja trânsito.

# Lista de Powersongs #  Rui Estrelinha

Blogue ; Rui Runner

01: Survivor – Eye Of The Tiger
02: Pearl Jam – state of love and trust
03: Eminem – Not Afraid
04: Kanye West – Stronger
05: Matchbox Twenty – How far we’ve come
06: Eminem feat. Nate Dogg – Till I Collapse
07: Flashdance – She Is A Maniac
08: The Offspring – Leave It Behind
09: Bill Conti – Gonna Fly Now (Theme From Rocky)
10: Foo Fighters – Everlong
11: Vangelis – Chariots of fire
12: Eric Prydz – Call On Me
13: Offspring – It’ll Be A Long Time
14: The Offspring – All I Want
15: Los Campesinos – Death To Los Campesinos
16: Bob Sinclar Feat. Dollarman & Big Ali & Makedah – Rock This Party
17: The Cure – Just Like Heaven
18: Billy Idol – Dancing With Myself
19: Dashboard Confessional – Reason to Believe
20: Scissor Sisters – Fire With Fire
21: Diane Lane – Nowhere Fast
22: Wiz Khalifa – Black And Yellow
23: La Roux – In For The Kill
24: Scatman John – Scatman (Ski-Ba-Bop-Ba-Dop-Bop)
25: Lady Gaga – Poker Face
26: NoFx – Linoleum
27: Will I am & The Rio Singers – Real In Rio
28: Offspring – Nothing From Something
29: Tihuana – Tropa De Elite
30: Fort Minor – Remember The Name
31: Gnarls Barkley – Run [I’m A Natural Disaster]
32: Clint Mansell’s – Requiem for a Dream (orchestral version)
33: DJ Tiesto – Trance Energy 2000
34: Darude – Sandstorm
35: Jennifer Lopez – On The Floor ft. Pitbull

 

 https://www.youtube.com/channel/UC6MqhLUVhCx-1GsTAS5xluw/playlists

Fonte: R.A.