Emil Zatopek – A locomotiva humana

O atletismo é o desporto rei nos Jogos Olímpicos de Verão, o evento mais global em termos do desporto. Dentro deste quadro, há muitas modalidades que despertam a atenção dos espectadores, e alguns vivem um prestígio especial que atinge seu clímax por ocasião dos Jogos Olímpicos.  

É assim para a final dos 100 metros, mas é também o caso de corridas de distância, nomeadamente de 5.000, 10.000, e, claro, a Maratona. Poucos privilegiados têm a sorte de ser capaz de ganhar uma dessas provas. Ainda mais raros são aqueles conseguem ganhar os 5 mil, ou 10 mil e a Maratona, até ao momento só um único homem conseguiu essa proeza… Emil Zatopek.

As primeiras corridas e os primeiros sucessos

Nascido em 1922 numa pequena aldeia da Checoslováquia , Zatopek cresceu numa família grande e certamente não rica. Desde tenra idade, trabalhava com o pai como ajudante de sapateiro e foi por essa altura que tudo começou.  Zatopek trabalhou na “Bata”, uma grande empresa que ainda opera hoje no mercado do calçado.

Um dia, foi organizada uma corrida entre quatro rapazes que trabalhavam na fábrica. O jovem Emil foi um dos escolhidos, mas a sua reação foi menos de entusiasmo. Zatopek, de fato, protestou e disse que se sentia fraco e não seria capaz de competir.

O chefe na mesma hora enviou-o para o médico para um checkup. A resposta foi clara e definitiva, forma perfeita. E assim foi, Zatopek alinhados na partida e participou da corrida sem grandes razões, mas, apesar da sua falta de compromisso, terminou em segundo.

O resultado, tão inesperado e tão gratificante, fê-lo perceber que era bom correr e vencer uma corrida seria ainda melhor. A partir desse momento, os esforços de Zatopek, além da fábrica, foram encaminhados para a corrida, dedicando todo o tempo livre para treinar. Tornaram-se mais fáceis quando  entrou na academia militar. Tinha todo o tempo do mundo para treinar, referir no caso de alguns atletas nacionais. A própria instituição dá benefícios para quem quer a carreira de atleta.

A consagração 

O Zatopek talentoso tornou-se conhecido do grande público por ocasião dos Jogos Olímpicos de Londres, em 1948, onde ganhou a prova de  10.000 metros e terminou em segundo lugar nos 5.000.

 Os anos seguintes viram-no a melhorar o recorde mundial em ambas as disciplinas e a bela participação  em Helsínquia 1952. Como previsto, Zatopek ganhou o ouro em ambos os 5.000 e 10.000. Mas foi só na véspera da maratona que a imprensa o tornou uma lenda.

Zatopek nunca tinha corrido uma maratona na sua vida, os treinos eram muitos, a garra e a vontade ainda maior, ele decidiu tomar parte na competição.

Dia da prova, um estádio cheio, todos os olhares iam para ele e o detentor do recorde mundial para a Maratona, o inglês Jim Peters, que também participava nesta prova. Peters, imediatamente impôs um ritmo muito elevado.

O resultado foi que o britânico não conseguiu aguentar muito tempo o ritmo elevado, mas o Zatapek consegue, entrando no estádio de Helsínquia, na solidão perfeita e conquistando assim o seu terceiro ouro olímpico.

A Lenda da locomotiva humana

Com este feito, o atleta da Checoslováquia, entra directamente para as lendas do atletismo. Os jornais de todo mundo falam dele e começam a chamar de ” A locomotiva humana“, tanto por seu resultado surpreendente bem como, aparentemente, pela característica de soprar ruidosamente durante a corrida.

Mas não importa, a partir daquele momento, Emil Zatopek torna-se uma lenda e é a ele que devemos a famosa frase que todos os maratonistas conhecem:

Se quiseres ganhar alguma coisa, corre os 100 metros. Se quiseres desfrutar de uma verdadeira experiência, então corre uma maratona.