Fascite plantar

Para quem pratica corrida de rua, os pés podem ser focos de lesões devido à natureza da atividade física. E um dos problemas mais comuns nessa parte do corpo é a fascite plantar. Também conhecida como fasceíte, é sentida através de uma fisgada na planta do pé, que aparece porque a área tem uma curvatura natural e precisa de se acomodar ao solo (que em geral é recto), tensionando e sobrecarregando as suas estruturas.

Para quem pratica corrida de rua, os pés podem ser focos de lesões devido à natureza da atividade física. E um dos problemas mais comuns nessa parte do corpo é a fascite plantar. Também conhecida como fasceíte, é sentida através de uma fisgada na planta do pé, que aparece porque a área tem uma curvatura natural e precisa de se acomodar ao solo (que em geral é recto), tensionando e sobrecarregando as suas estruturas. Ou seja, o excesso de esforço pode gerar inflamação, dor e rigidez na região.

O que é?

A fascite plantar é uma inflamação do tecido denso na sola do pé, que ocorre pelo esforço excessivo da região. Esse tecido é denominado de fáscia plantar, uma aponeurose (tecido que recobre a musculatura da planta do pé) que se estende do calcâneo, osso que forma o calcanhar, aos dedos. Ela ajuda a manter o arco longitudinal do pé. A corrida e caminhada aumentam a força exercida sobre o pé, ainda mais quando a sobrecarga ultrapassa a capacidade do pé de absorver o trauma, por isso a dor. A fraqueza dos músculos, para absorver esse impacto, influencia.

Causas

– Alterações na formação do arco dos pés;
– Passada errada;

– Encurtamento do tendão de Aquiles e da musculatura posterior da perna;
– Esforço excessivo da sola do pé.

Como evitar

– Correr em terrenos macios;
– Fortalecimento muscular;
– Alongar sempre antes e depois de correr;
– Perda de peso excessivo;
– Palmilhas com acolchoamento do calcanhar para minimizar o estiramento da fáscia e reduzir a absorção do impacto.

Tratamento

Inicialmente, a forma de se tratar a lesão é sempre conservadora, sendo feita com anti-inflamatórios e analgésicos. Também é importante fisioterapia com exercícios para alongamento da fáscia plantar e do tendão de Aquiles (tendão da perna posterior).

Fonte: Globo Esporte.

Adaptação: www.aminhacorrida.com

Aplicação com Rocktape

Esta aplicação é fácil de se realizar sendo a própria pessoa capaz de fazer a si mesmo.

A utilização da Rocktape na fascite pode ajudar a recuperar da lesão bem como na sua prevenção, independentemente de a própria pessoa ter de recorrer a um especialista para o seu tratamento dependendo do estado que a lesão já possa ter.
A aplicação da 1ª parte faz-se desta maneira;

1. Flexione pé. Cole a tape no calcanhar e colar para a bola do pé, sem exagero.

Opcional: Corte de fita entre dedos dos pés.

 

A 2ª aplicação deve ser feita no centro da dor pois a aplicação em si vai ajudar no alivio da dor;

2. Cole a tape no pé e envolva o pé partir de fora para dentro para suportar arco. Use múltiplas peças, se necessário.

Quando falamos utilizar múltiplas peças é para usar mais fitas caso seja necessário aplicar o outra fita mais atrás.

Reacção alérgica à ROCKTAPE é muito raro, mas pode acontecer. Vermelhidão ao redor da fita, sensação de calor ou comichão são todos sinais de que está a ter uma reacção, remova a fita e lave a área com água fria.

Lembre-se que ROCKTAPE está lá para fazer sentir-se melhor do seu problema. Se após 48 hrs sente que a fita não está a ajudar o seu problema ou está sentir-se pior, retire-a.

Dependendo do local do corpo onde a fita é aplicada e que se obtém enquanto está aplicada a fita acabará por começar a descolar. Quando mais de cerca de 10% da fita descolou é chegado o tempo de a retirar.

ROCKTAPE é uma ferramenta de tratamento totalmente personalizável. Quando a fita está aplicada tome atenção em como ela a está a ajudar e de qualquer maneira o seu terapeuta pode ajudar ainda melhor da próxima vez que você utilizar a tape. Fique atento ao seu problema logo depois de tirar a tape. Às vezes não se percebe o quanto a fita estava a ajudar até ser removida.