Fitas de Cinesiologia – As fitas coloridas

Conhecida no meio fisioterapêutico como Kinesio Tape, ou fita terapêutica, é uma técnica que, na verdade, não é nova, tendo sido criada há mais de trinta anos por Kenso Kase, Japão; trata-se de uma fita elástica desenvolvida com base na cinesiologia, o estudo do movimento. Esta técnica foi desenvolvida através da hipótese de que os músculos e outros tecidos poderiam ser influenciados por um contato externo.

As fitas não têm nada de medicamentoso, isto é, não vêm impregnadas com nenhuma substância analgésica. São fitas elásticas adesivas hipoalergénicas, feitas de material poroso, não têm função de imobilização e podem expandir até 130% do seu tamanho, só crescendo no sentido longitudinal. As fitas actuam fazendo estímulos elásticos na pele que são transmitidos às camadas mais profundas, promovendo uma ligeira tração na área onde for aplicada. A fita mantém a comunicação com os tecidos mais profundos através de mecanorreceptores encontrados na derme e epiderme.

 

A fita é aplicada com diversos objetivos:

• Diminuição da dor e da sensação de desconforto;
• Promover suporte durante a contração muscular;
• Diminuir a congestão do fluxo linfático;
• Diminuir o extravasamento sanguíneo para o subcutâneo;
• Ajudar na correção de desvios articulares;
• Promover auxílio na contração muscular.

Este tratamento, preventivo ou curativo, não é algo «milagroso», tendo as suas limitações; poder-se-á encarar como mais uma ferramenta no meio desportivo, pois melhora a performance, acelera o retorno à prática desportiva e não se regista que prejudique. A ação placebo associada à utilização desta fita também existe e, como qualquer tratamento, deverá ser feito por um profissional habilitado, destacando-se os fisioterapeutas e ortopedistas.

Existe uma técnica específica para a colocação das fitas e que podem variar não só com a articulação como também com o objetivo a ser atingido. Exemplificando: aplicando no sentido da origem para inserção do músculo, dá mais suporte muscular e ajuda na contração; aplicando da inserção para a origem, ajuda a relaxar o músculo e melhora lesões musculares. Podem ser aplicadas em «, em «, em « ou «teia de aranha» (ver fotos).

 

A fita pode ser usada durante ou após os treinos e dura até cinco dias, mesmo que seja molhada no banho. A título de referência, algumas marcas existentes no mercado são: Nitto Denko, Temtex, KT Tape, Kinesio Tex Gold, 3NS Tex e Mueller.

Por fim, destaca-se o modo de aplicação desta fita em algumas lesões comuns em corredores.

a) Tendinite do Tendão-de-Aquiles (Proteção do tendão do uso excessivo).

1. Cortar um pedaço de fita medindo do topo da panturrilha à sola do calcanhar. Arredondar as pontas com a ajuda de uma tesoura;

2. Flexionar o pé. Ainda com a folha protetora colada à fita, colocar uma ponta da tira na sola do calcanhar. Pressionar o dedo na fita, na parte superior do tendão-de-Aquiles (alguns centímetros acima do tornozelo);

3. A partir do topo da fita, cortar a tira ao meio na vertical até onde ficou a marca do dedo;

4. Remover a folha protetora da parte não cortada da fita. Colar a fita na sola do calcanhar e, com o tornozelo flexionado, esticar colando no tendão-de-Aquiles.

5. Remover a folha protetora das partes cortadas da fita e colar (sem esticar) nas partes externa e interna da panturrilha, formando um “V”.

b) Fascite plantar (Apoio ao arco do pé para aliviar a dor).

1. Cortar um pedaço de fita suficientemente longo para ir desde a parte de trás do calcanhar até um pouco antes dos dedos do pé, no metatarso. Não remover a folha protetora;

2. Cortar a fita na forma de «quatro dedos», sem cortar alguns centímetros em uma das pontas, que servirá para cobrir o calcanhar;

3. Cortar outro pedaço de fita suficientemente longo para cobrir o metatarso e arredondar os cantos com a ajuda de uma tesoura;

4. Retirar a folha protetora da fita que não foi cortada e colocá-la atrás do calcanhar. Flexionar o tornozelo e puxar os dedos dos pés para cima com a mão. Retirar a folha protetora correspondente aos dedos, uma de cada vez, e colar ao longo da sola do pé de maneira uniforme, sem esticar a fita. Retirar a folha protetora da segunda tira e colar no metatarso para apoiar os dedos.

c) Joelho de corredor (Diminuição da tensão sobre o tendão patelar).

1. Cortar 10 centímetros de fita, arredondar os cantos e remover a folha protetora;

2. Segurar as pontas da fita nas duas mãos, esticando o meio da fita e colar logo abaixo da patela/sobre o tendão patelar;

3. Alisar os cantos da fita de encontro à pele.

d) Canelite (Alívio da inflamação nas canelas).

1. Cortar um pedaço de fita de 30 a 45 centímetros, arredondar todos os cantos e remover a folha protetora;

2. Flexionar o pé. Colar uma ponta da fita junto ao dedo mindinho. Passar a fita na sola, no ponto mais alto do arco e em volta da parte de cima do pé. Em seguida, levar a fita até a frente da canela;

3. Cortar 15 centímetros de fita com largura de 3 centímetros, colando uma ponta da fita sobre a fita existente no lado externo do pé, flexionando-o e colar a fita firmemente sobre o arco.

Fontes:Dr. Fabio Costa CREMEB 15998 TEOT 8421
Beth Dreher e Julia Zanolli