I Trail  Iberlince  de Barrancos / Ana Amaro

0

 No dia 18 de novembro de 2017, realizou-se o I Trail Iberlince , na vila de Barrancos. Este evento foi promovido e organizado pelo Barrancos Futebol Clube, uma associação sem fins lucrativos.

Os atletas tinham à sua disposição e conforme o seu agrado três distâncias: Trail Longo  40km (prova integrado na Lacatoni Taça de Portugal de Trail, Zona Sul, prova do calendário da Associação de Trail Running de Portugal – ATRP) , Trail 21km e Mini Trail 11km.

Há já algum tempo que andava com vontade de fazer esta prova por vários motivos: não conhecer Barrancos nem a zona envolvente, ter um feedback bastante positivo por parte de atletas que já tinham feito outras provas neste local e por último as fotos das paisagens publicadas por um dos organizadores da prova na sua página do facebook. Por estes motivos achei que este ano não deixaria passar a oportunidade de conhecer este local e verificar ao vivo se aquele paraíso existia realmente no nosso país.

E assim foi…sexta feira, eu e o meu companheiro fizemos as malas e pusemo-nos a caminho… chegámos a Barrancos já de noite e logo nos apaixonámos por esta linda vila alentejana. Dirigimo-nos ao Parque de Feiras e Exposições para levantarmos os dorsais e logo ali deparámo-nos com a simpatia das gentes de Barrancos. Só pelo Kit de participação vimos logo que já tinham valido a pena os longos quilómetros percorridos de carro: mochila, t-shirt, um cantil lindíssimo, um bloco para apontamentos, um diário da natureza sobre o lince ibérico e um puzzle muito original! Tudo oferecido pela Associação Iberlinx. Após levantar os dorsais dirigimo-nos ao Pavilhão da Escola Secundária, onde pernoitámos, num ambiente de grande animação.

Às 7 horas da manhã acordámos ao som “agradável” de uma corneta que um atleta fez questão de utilizar para avisar que estava na hora do grande evento!!!!

Às 9h da manhã lá partimos para a prova de 40 km e o que encontrámos à nossa espera foi algo de mágico… os primeiros quilómetros foram feitos junto ao rio, uma paisagem que tinha tanto de beleza como de dificuldade… a encosta do rio ingreme e escarpada tornou a prova numa grande aventura. Houve de tudo pelo percurso: escarpas para escalada, picos e mais picos, pedras, pedrinhas e pedregulhos, um rio que se estivesse cheio tinha sido um “mimo” para os atletas, ter de pular cercas e algumas com arame farpado, passar junto de vacas e porcos pretos, a subida à torre do Castelo de Noudar, a floresta encantada ( a sério que senti que ali existia algo de mágico!) e uma magnífica natureza  com paisagens de cortar a respiração que tivemos o privilégio de desfrutar.

Os recados deixados ao longo do percurso, através de cartazes e escritos mas rochas e pedras, conseguiram arrancar muitos sorrisos aos atletas e motivá-los para o que ainda estava para vir. A exemplo disso foi eu estar a escalar uma enorme escarpa, quase de gatas e com a cara junto ao chão e ler numa pedra a palavra “ Bora”…esta pequena palavra deu para eu soltar uma gargalhada e ganhar forças para continuar a subida.

Mas para mim, o melhor estava à nossa espera no final da prova: o Trilho da Saudade, uma lindíssima homenagem a duas grandes atletas que já não se encontram entre nós fisicamente mas que a sua memória ficará para sempre nos corações de quem as conheceu, Analice Silva e Manuela Adrega Fonseca, tal como eu, sei que muita gente se emocionou ao ler a mensagem deixada pela organização.

E de volta a Barrancos e terminada a prova, ainda recebi uma flor oferecida pela  Agarrocha Flores e um prémio finalista muito original: a pegada do lince!

De realçar a presença constante dos Bombeiros Voluntários de Barrancos,  ao longo do percurso, principalmente nos locais de maior risco e os abastecimentos com gentes de uma enorme simpatia, principalmente ( penso que no penúltimo abastecimento) em que o mesmo era numa casa de família e onde ainda estivemos à conversa com o dono da casa!

Após regressar a casa, fica o desejo de voltar para o ano àquele cantinho da Península Ibérica onde dificilmente iremos lá só por ir… mas este é um bom pretexto para lá voltar! Até para o ano e muitos parabéns à organização. Um Trail feito por atletas para atletas! Obrigada!

Ana Amaro

Classificações