Tag: Dieta

Teste sobre a Nutrição…

nutricaoNão é fácil abordarmos os problemas da alimentação sem colidirmos com todo o conceito de hábitos, variáveis de região para região, e que forçosamente devem merecer toda a nossa atenção numa análise objectiva. Se as populações que habitam a zona costeira têm por hábito uma alimentação rica em peixes e seus derivados, não nos parece muito lógico aconselhar-se-lhes outro tipo mais diversificado de refeições.

Peso de Forma…

Para um atleta de qualquer disciplina do atletismo e principalmente de meio-fundo e fundo, é fundamental ter um peso perfeitamente adaptado às suas características individuais. O excesso de peso constitui uma sobrecarga inútil que os atletas têm de transportar ao longo de todos os esforços quer nos treinos, quer nas competições, como se transportassem sempre um saco de vários quilos. O excesso de peso além de prejudicar os atletas a nível físico, perturba também o metabolismo fisiológico durante a realização dos esforços e na recuperação.

Dieta macrobiótica e o atleta

Cada vez mais surgem novas alternativas alimentares e novos conceitos e por vezes desconhecemos as bases destes conceitos alimentares e de certo modo, ficamos sempre desconfiados quando nos cruzamos com alguém com uma alimentação mais restrita, e quando desportista ainda mais apreensivo se fica pois pensa-se logo que poderá haver carências alimentares.

Mas será mesmo assim? Afinal o que é a macrobiótica?

A palavra macrobiótica tem origem no grego (macro= grande e bio=vida) e significa grande vida ou a arte de grande vida com saúde e alegria.

7 erros comuns na dieta do corredor

A alimentação balanceada é condição para que você tenha um bom desempenho na corrida de rua. Mas é preciso tomar tantos cuidados com o que se coloca no prato, que certas vezes, quem se dedica às passadas acaba adotando, sem saber, atitudes erradas com relação ao que comer pensando que terá um bom rendimento na corrida.

Faz mal treinar de barriga vazia?

Isso está dependente de vários factores. Correr em jejum pode não fazer mal mas também bem não faz. Isso depende de factores como, por exemplo, as horas que passaram desde que tomou a última refeição, a qualidade nutricional da última refeição e a intensidade da sessão de treino.