Tag: Quem sou eu

70% Atitude/Força de vontade + 30% Capacidade fisica – Bruno Campelo

É este o lema da minha vida!

Chamo-me Bruno Campelo ,residente numa pacata aldeia do concelho de Barcelos de seu nome Tregosa. Após um azar na vida,como como lhe chamo uma correcção do percurso de vida, decidi enfrentar uma batalha interna para recuperar o meu amor próprio e o meu orgulho! Nesse dia disse …é hoje, pesava 113 kgs, com um perimetro abdominal assustador e com o meu interior, o meu ego completamente á deriva decidi enfrentar um novo desafio! Esse desafio foi a perda de peso.

Corro com os amigos… Henriqueta Solipa

Desde criança que gosto muito de desporto. Pratiquei atletismo e natação na minha adolescência, mas acabei por, mais tarde, utilizar só ginásios. Com o passar dos anos acomodei-me a correr na passadeira, até que um dia desafiei o Carlos Renato para irmos correr na rua, ao ar livre, e foi então que nos aventurámos pela primeira vez na Corrida do Tejo em 2007.

A partir daí, o bichinho instalou-se para não mais sair, muito pelo contrário!

Miguel Ribeiro: «Conhecer o mundo correndo».

Sou um jovem com 25 anos e iniciei-me no atletismo federado em 2002, mas o desporto tem um sido um hábito na minha vida desde os meus 8 anos, quando em 1995 decido ir a um treino do clube de futebol mais representativo de Viana do Castelo, o Sport Clube Vianense.

Era conhecido como Cafú ou Reiziger (antigo internacional holandês e ex lateral direito do Barcelona) devido às parecenças físicas e posicionais. Era rápido, jogava sobre a lateral direita, tinha alguma habilidade, mas faltava-me poderio físico, sempre fui tão franzino… Ocorria que no final dos treinos, dávamos umas voltas ao campo e eu era o que mais voltas dava em menos tempo, o meu pai apercebendo-se disso e vendo que ali possivelmente daria em nada, começou a desviar-me para o atletismo, “treinando-me” da varanda de casa, tirando tempos a uma volta que dava ao bairro onde vivíamos na altura.

A minha corrida… Carlos Lopes

Comecei a ter o gosto pela corrida em 1984, ano em que o atleta português Carlos Lopes foi campeão olímpico. Como brincavam comigo por causa do  nome “Carlos Lopes”, comecei a correr na escola. Por pouco tempo.

Mãe…Médica…e Atleta – Cristina Ponte

A VERDADEIRA EXPERIÊNCIA AUTOTÉLICA

Chamo-me Cristina Ponte. Sou apenas mais uma entre tantas atletas. Pediram-me que escrevesse sobre a minha experiência como atleta.

Não será fácil.

Não consigo destituir-me das outras experiencias que povoam o meu ser, quer sejam a de profissional, de mulher, de mãe, de estudante, de amiga, de companheira e de atleta.