VII Grande prémio Arrábida

Hoje de manhã, apesar da chuva que teimou em cair, cerca de 750 atletas (entre corrida e caminhada) deslocaram-se até Setúbal para participar numa corrida já famosa pelo abastecimento com vinho Moscatel a meio da prova.
O processo de inscrição por email com pagamento por transferência bancária foi fácil e rápido. Também a entrega de dorsais foi feita de forma rápida e sem confusões.
A partida da prova foi no Jardim de Vanicelos e durante os primeiros 2 Km seguiram todos em pelotão a um ritmo que eu achei muito lento, o que provocou alguns encontrões, atropelos, etc, devido ao grande número de atletas. Neste aspecto ainda achei pior que as provas nas pontes onde no início não se consegue correr…
Após os atletas se “libertarem das amarras” começou a verdadeira prova que teve o seu auge entre o 5º e o 7º Kms em que passámos dos 50m de altitude para os 200m… depois dessa “ultra-rampa” (em terra batida) começámos a descer num piso misto de alcatrão e terra batida, incluindo uma super-descida em que eu quase batia com o nariz no chão, tanta era a inclinação!!!

Como eu não conhecia o percurso deixei-me ir e quando quis travar já não consegui e a única coisa que consegui fazer foi abrir a passada ao máximo e tentar equilibrar-me enquanto descia desabridamente por ali abaixo. Agradeço aos atletas que me ouviram a gritar e se desviaram evitando o choque e uma queda certa…
Depois de voltarmos a entrar dentro da cidade o percurso passou a ser plano onde já pude esticar mais o meu andamento. Foi nessa altura que comecei a passar pelos caminheiros que fizeram uma volta mais pequena.
No final tivemos que passar novamente por dentro do Jardim de Vanicelos incluindo um “pantanal” disfarçado pela relva e que se formou devido à grande quantidade de chuva acumulada no local e a já terem passado por lá muitos atletas…

Devo assinalar o que me pareceu um bom posicionamento dos abastecimentos, o primeiro a 300m do início da maior subida e outro já na parte da descida (não reparei em que km) que eu dispensei… o abastecimento de moscatel “soube que nem gingas” e nem me importei de parar para o apreciar como devia ser.
Também devo referir que fiz cerca de metade da prova debaixo de chuva que chegou a ser muito intensa e que me deixou encharcado da cabeça aos pés…

No final fiquei logo a saber qual a classificação no meu escalão mas não na geral e apesar de haver na meta um relógio a contar o tempo de prova acho que esta prova merecia um controlo por chip…
Ainda recebi um saco com uma camisola (muito bonita) alusiva à prova, uma garrafa de água e uma garrafa de vinho moscatel (de 37,5cl) com um rótulo também alusivo à prova (disseram-me que também havia amostras de chá mas o meu saco não o tinha…)
Foi ainda anunciado que o limite de participações deste ano se deveu ao número de camisolas que foram feitas sendo que foi já revelado que no próximo ano este número será aumentado para mil.

Texto de: Manuel António

Site Classificações

Site Fotografias