3.º Trail da Costa Vicentina | por Carla Tabaio

0

Foi no passado domingo (21 de Outubro de 2018) que decorreu a 3.ª edição do Trail da Costa Vicentina. Este evento foi composto por 3 provas: Trail Longo, Trail Médio e Trail Curto. Como todas estas provas tinham como meta a localidade de Porto Covo, as partidas ocorreram todas em horários e locais diferentes:

Trail Longo: 8h30 no castelo junto à Igreja Matriz de Santiago do Cacém;
Trail Médio: 10h00 no Largo dos Caieiros no Cercal do Alentejo (percurso na imagem);
Trail Curto: 10h30 na Sonega.

Para os atletas se deslocarem ao local de partida, foram disponibilizados pela organização autocarros. Aquando da inscrição tinha de se seleccionar esta opção, opção esta que recomendamos. O percurso é linear, portanto é mais fácil e prático apanhar o autocarro, não se tendo de fazer jigajogas com colocações de carros em pontos estratégicos. Não canses a cabecinha a pensar nisso e perde o amor a uns troquitos! Vais ver que poupas e até és mais amigo do ambiente! Olha a pegada ecológica! Aliás, em qualquer prova que tenha na inscrição a opção “transporte”, carrega na bolinha!

A partida dos autocarros ocorreu junto ao Pavilhão de Multiusos de Porto Covo, aliás este Pavilhão foi central nesta prova, pois também aqui se levantaram os dorsais e se disponibilizaram os banhos. E já que falamos em dorsais, o Kit de participante incluiu também uma mochilinha (diferente das habituais e das quais já temos uma colecção infindável, portante foi um ponto positivo), uma garrafa para a água (muito boa para levar para o ginásio, tem até o relevo ideal para encaixares os dedinhos) e a t-shirt da prova.

Então, cedinho lá apanhámos o nosso autocarro para o Cercal, já que eu fui à prova média. À chegada, começa a chover! Não estávamos, regra geral, preparados para tal! Ainda andamos todos com o “feeling” do verão! Eu até vi a meteorologia e não dizia que chovia… certeiras como sempre estas aplicações de meteorologia… Assim, lá começámos a aquecer sob uma chuvinha que, incrivelmente, parou para podermos partir! E durante o percurso não apanhei um pingo de chuva! Mesmo assim, para mim, este trail abriu a “época das chuvas” e a partir de agora vou precaver esta possibilidade em todas as provas que for.

No que respeita ao percurso deste trail médio: muito “corrível” e com apenas cerca de 300m de desnível positivo acumulado (perfil da altimetria na imagem)! Em subidas, nas provas de trail, ando muitas vezes, pois acaba por ser uma melhor gestão da minha energia, mas neste pouco andei. No máximo, andei em 3 subidas. Regra geral, as subidas eram todos exequíveis e as descidas nada técnicas, o que sabia bem para rolar e descansar, já que 23 quilómetros de corrida quase ininterrupta também cansa. E sim, 23 quilómetros! Era suposto serem 26, mas a organização teve de encurtar os percursos por segurança. E soube tão bem! Sim, porque eu ia preparada para 26km e quando, ainda nem aos 23, pergunto a um membro da organização se faltava muito ele responde: “a meta é já ali na segunda à direita”… Soube-me a glória! Sinceramente, gosto mais quando tiram quilómetros do que quando acrescentam! A mim, sabe-me a mimo!

O facto de o percurso ser bastante “corrível” permitiu-me também aproveitar a paisagem, já que não havia um medo tão presente de cair. E ver mar lá ao fundo dá outro fôlego! Devido a estas características, penso que uma boa escolha de calçado serão uns ténis que não tenham muita tração, pois há muito estradão e algum alcatrão, mas alguma pois há muita areia e não queremos escorregar.

No que respeita à organização, considero que foi de muito boa qualidade, pois até tinha um nível de complexidade acrescida devido aos múltiplos pontos de partida. A entrega dos kits estava bem organizada; as entradas nos autocarros também; as marcações estavam impecáveis, com pouca distância entre cada fita; os abastecimentos estavam bem colocados e com muita oferta, desde fruta a frutos secos e géis; e o almoço convívio muito bem organizado e saboroso.

Em geral, considero que esta foi uma prova vencedora e que certamente a voltarei a realizar, pois mais que uma prova, é uma “escapadinha” com amigos!