- Publicidade -

1. Fique mais forte

A força é essencial para que você corra mais rápido. Quanto mais força o corredor exerce sobre o solo, mais rápido pode correr. Também é preciso ser forte o suficiente para manter a postura correta quando o pé atinge o chão.

Para desenvolver a sua capacidade de exercer força contra o solo, foque nos seguintes exercícios:

Agachamentos – Ensinam você a usar todo o seu corpo para exercer a força contra o chão. Você pode trabalhar com cargas pesadas, e o exercício também envolve a extensão de quadril, o que é importante para a corrida.

Agachamentos unilaterais – Aposte nos split squats,  nome em inglês do exercício, com uma perna de cada vez. Esse movimento é importante pensando no sprint, já que uma perna está em contato com o solo de cada vez. Fortalecer isquiotibiais e glúteos também ajuda na prevenção de lesões durante o sprint.

“O agachamento é muito simples, mas é bom para a corrida e qualquer modalidade que envolva membros inferiores. Você tem um recrutamento maior de unidades motoras. Se for bem feito mesmo, encaixado de uma maneira ideal na periodização, é um belo exercício, ainda mais combinado com saltos. Podem ser exercícios bons para treinos de potência, pliométricos”, recomenda Rodrigo Lobo, treinador da Lobo Assessoria

2. Aplique a sua nova força

Ser forte é importante para a corrida, mas a capacidade de aplicar essa potência é vital. Corredores se movem numa direção horizontal. Em contrapartida, numa sala de musculação, a força geralmente é desenvolvida verticalmente. Isso significa que você deve assumir a força trabalhada na academia e aplicá-la horizontalmente. Existem algumas ferramentas para fazer isso.

Quando são feitos na direção horizontal, os saltos ajudam-te a aplicar a sua força para a corrida. Saltos longos, saltos triplos e saltos cobrindo determinadas distâncias são exercícios que devem fazer parte do seu treino para ganhar velocidade. E não é preciso investir em equipamento para trabalhar este tipo de exercícios.

Empurrar objetos, técnica muito empregada no crossfit e em treinos funcionais, por exemplo, também é uma alternativa. Isso melhora a sua capacidade de aplicar força horizontalmente