A Acupuntura no alívio da dor no atleta

A prática de uma atividade física regular é um conselho repetido por mim, enquanto profissional de saúde, pois são amplamente conhecidos os benefícios que daí advêm para a saúde e bem-estar.

0

Ter em atenção que a prática desportiva selecionada deverá estar de acordo com a nossa aptidão e características físicas, sendo importante optarmos por um tipo de atividade com a qual nos identifiquemos e que vá ao encontro das nossas necessidades.

Gostaria de alertar, no entanto, que qualquer prática desportiva necessita de ter um acompanhamento, realizado por um conjunto de profissionais de saúde e de desporto, o qual deve ser iniciado antes de começar a atividade física em causa (através da realização de um check-up geral) e prolongado ao longo da época desportiva de modo a prevenir lesões e potenciar a performance individual de cada atleta. 

Muitas vezes, antes de ocorrer uma lesão estrutural, o atleta apresenta uma dor, à qual não presta muita importância (ou por ser intermitente ou pela intensidade não ser muito significativa) e só quando aumentam o volume ou a intensidade do treino é que começam a reparar melhor nesta questão pois impede dar o salto para um patamar mais elevado. E saliento que não falo apenas de atletas com elevadas cargas de treino, pois estou a incluir as pessoas idosas que ao realizarem as suas caminhadas diárias, sentem o aparecimento do sintoma sempre que prolongam mais a duração da mesma ou escolhem um percurso com mais subidas e descidas.

Um exemplo muito frequente deste tipo de situações nos corredores é a chamada “canelite” (síndrome do tibial anterior), caracterizada por uma dor intensa e localizada na face anterior da perna (“ao longo da canela”), a qual agrava com esforço físico (“Ao fim de algumas centenas de metros a correr, a dor começa e vai agravando ao ponto de ter de parar”) e evolui facilmente para a cronicidade (com aumento na frequência, intensidade e duração dos sintomas). Trata-se de uma disfunção isquémica, compressiva ou traumática do compartimento anterior da perna com inflamação no músculo, tendão ou periósteo. A origem desta dor poderá ser traumática (após queda ou traumatismo direto) mas o mais frequente é ser a realização de movimentos de repetição associados a uma atividade física inadequada ou excessiva (como correr em piso demasiado rígido ou com calçado inadequado), os quais originam microtraumatismos crónicos com perda de função e consequente limitação física. Para além da dor crescente em intensidade e do facto de surgir cada vez mais cedo (“Antes só sentia dor ao fim de alguns quilómetros de corrida, agora surge ao fim de 200 metros”), um dos riscos deste tipo de disfunção é a evolução para uma fratura de stress. 

Não devemos, de todo, ignorar estes sintomas e há que perceber a sua origem para passarmos à sua resolução. Não ter o acompanhamento devido pode fazer com que uma situação ligeira evolua para uma lesão mais grave, com necessidade de suspender a prática desportiva por um período de tempo mais longo. No caso da “canelite” e outras situações semelhantes, a acupuntura tem uma boa resposta clínica através da ação analgésica, anti-inflamatória e regeneradora de um conjunto de pontos específicos (para combater a dor e inflamação local), seguindo-se um trabalho de equilíbrio do tónus muscular entre os vários grupos musculares dos membros inferiores de modo a tornar a passada do atleta mais fluida e com menor dispêndio energético. Uma das expressões utilizadas no oriente é: “caminhar a passos largos como o tigre” 

Na consulta inicial, fazemos a avaliação funcional global do paciente, identificando não só o motivo da dor mas também os locais do corpo onde se concentram as maiores fadigas musculares, as maiores limitações na normal amplitude dos movimentos e os mecanismos de defesa que o organismo foi desenvolvendo para compensar os erros posturais, os movimentos de repetição e os microtraumatismos acumulados ao longo da vida. 

Concluída essa avaliação é feita a proposta de tratamento, a qual poderá incluir técnicas tão variadas como a acupuntura tradicional, electroacupuntura, massagem Tuina, ventosaterapia, termoterapia e fitoterapia. Destaco uma técnica muito eficaz no alívio da dor associada à prática desportiva: a acupuntura a laser. É totalmente indolor, funcionando através de um feixe de luz com comprimento de onda e frequência específicos para o tratamento das disfunções músculo-esqueléticas. É indicada no tratamento de dor localizada (aguda ou crónica), tendo uma ação analgésica e anti-inflamatória.

A Acupuntura tem uma visão individualizada do ser humano pelo que cada plano terapêutico é definido de acordo com as características da pessoa que temos à nossa frente em consulta, sendo um plano personalizado e que vai sendo adaptado à medida que o paciente vai melhorando. O nosso objetivo: contribuir para que possa atingir os seus!