A importância dos programas de treino

0

A importância dos exercícios compensadores foi estudada de forma muito exaustiva na prevençâo e tratamento das lesões tendinosas. Calcula-se que entre 30 e 50% dos desportistas sofrem períodos de inatividade devido a lesões tendinosas. A lesão mais frequente é a do tendão de Aquiles (56,6%) nos corredores de fundo, que se relaciona com o número de anos de prática desportiva. Em diversos estudos demonstrou-se que a realização de exercícios conhecidos popularmente como exercícios excêntricos é a melhor ferramenta física, tanto para prevenir como para tratar os problemas tendinosos. Uma contração muscular concêntrica uma contracção muscular concêntrica é aquela em que o músculo desenvolve tensão, encurtando-se, como ao travar um movimento. Estes exercícios não substituem mas vão além dos alongamentos passivos clássicos.

Podem-se realizar de forma preventiva, mas quando se realizam para tratar uma tendinopatia é preciso que um profissional da saúde desportiva adapte o programa de exercícios à lesão existente. Existem exercícios excêntricos para cada articulação. Em baixo podes ver alguns exercícios excêntricos para o tendão de Aquiles dão rotuliano.

As chaves residem na nutrição, treino e seleção de material técnico apropriado

Um dos pilares na prevenção de lesões articulares é a nutrição. É sabido que seguir uma alimentação equilibrada, prestando especial atenção ao consumo de frutas e verduras, é essencial para a saúde. Além disso, existe consciência de que em etapas ou situações especiais há que cobrir as necessidades acrescidas. Por exemplo, as mulheres na fase da menopausa sabem que é importante aumentar a ingestão de cálcio e vitaminas para evitar a desmineralização óssea.

Por outro lado, há pouca perceção de que o desporto intenso gera um desgaste articular e que é necessário nutrir as articulações para prevenir lesões. Por exemplo, foi estudado que o hábito de correr mais de 32km por semana aumenta 2,4 vezes o risco de sofrer de artrose antes dos 50 anos. A artrose não é mais do que a perda de mucopolissacarideos tanto na cartilagem articular como no líquido sinovial. A função destes tecidos é evitar a fricção entre superfícies articulares e amortecer os impactos. Provavelmente o sobreuso articular nos desportistas provoca um aumento no ritmo de degradação destes tecidos.

Foi demonstrado que uma suplementação correta com mucopolissacarideos e vitamina E tem um papel protetor sobre o metabolismo da cartilagem, ajudando a prevenir ou retardar a sua degradação. Compensar o desgaste articular associado ao uso intensivo das articulações com um suplemento é muito importante porque a artrose é muito limitadora e praticamente irreversível.

Além de nutrirem a cartilagem articular, também há suplementos que fornecem nutrientes destinados a proteger os tendões. A tendinopatia deve-se a uma alteração da estrutura do tendão. Uma suplementação específica com colagénio tipo I, mucopolissacarideos e vitamina C demonstrou ser eficaz para proteger e reparar as alterações do tendão, permitindo acelerar o regresso à atividade desportiva. Num estudo clínico, liderado por Toni Bové, estudou-se a evolução de 80 desportistas que apresentavam tendinopatias. O grupo de controle seguiu um protocolo padrão de fisioterapia, enquanto ao outro grupo se acrescentou a toma de um suplemento nutricional.

Os resultados demonstraram que a introdução do suplemento acelera a recuperação, através de uma melhoria significativa da mobilidade ~ uma redução de dor. Em estudos in vitro confirmou-se que estas melhorias estão associadas a uma melhoria na organização da estrutura do tendão.