Avaliação de Colete de Hidratação Kalenji

0

Introdução – Cada vez mais a autosufiência do atleta nas provas de trail/montanha é primordial para a manutenção das suas capacidades, bem como para a sua segurança nos casos inopinados de falhas de abastecimentos. Sou atleta de trail, percorrendo distâncias até um máximo de 50Kms e desta vez experimentei em condições bastante severas, o Colete de Corrida Kalenji, tendo para o efeito adaptado dois soft flask de 500ml.

Primeira impressão – Ao toque o tecido parece ser macio, bastante respirável e com a elasticidade necessária para a adaptação de material. Possui dois compartimentos para soft flask à frente, dois compartimentos laterais com acesso frontal e um compartimento nas costas com acesso superior de dimensões generosas. Aperta com três fitas de ajuste na frete e apresenta ainda acessórios de abertura dos compartimentos em cor distinta para um acesso mais facilitado e rápido. A sua utilização noturna oferece fitas retroluminescentes para melhor ser detetado na via pública. Vem ainda com o acessório “apito”.
Viagem aos trilhos – A acomodação de gel, barras, alguns bens pessoais e material obrigatório das provas, água e o respetivo ajuste faz-se com extrema facilidade e logo aqui, a surpresa de que cabe tudo para fazer uma prova sem obrigar o tecido do colete. Após os primeiros kms, um ponto ponto bastante positivo, os sistemas de ajuste não alargam, mesmo depois de molhados com transpiração ou água. A capacidade de água é mais que suficiente, tendo em conta as habituais distâncias entre abastecimentos e mantendo uma reserva considerável para casos de emergência. Outro destaque, as garrafas não têm permissão de oscilações provocadas pela corrida, fruto do correto ajuste do tecido. Nos compartimentos acomodei a alimentação necessária e mais colocaria sem problema. No compartimento traseiro, além do frontal, manta térmica e telemóvel ainda coloquei duas peças de vestuário para o caso de frio extremo. Posso afirmar que me esqueci que levava algo às costas pois o conforto a isso levou. Não detetei qualquer ponto de esforço anormal, qualquer abrasão no corpo nem qualquer desconforto. Nas passagens de obstáculos, a progressão efetua-se de forma completamente normal e descontraída .
Pós prova – Ao cortar a linha de meta, pude constatar que nunca foi preciso fazer qualquer ajuste, que no meu caso é no máximo do aperto da XS/M, o lixo (invólucros) vinha acondicionado devidamente onde o tinha colocado, bem como as sobras e o corpo não possuia qualquer vestígio da utilização do colete, mesmo sendo a primeira vez em prova. Os movimentos foram feitos com a habitual normalidade sem qualquer restrição. As quantidades permitidas nos compartimentos são adequadas contemplando uma reserva generosa, tendo em conta que se trata de um colete e não de uma mochila, mas mesmo assim permite uma aventura em distâncias mais avultadas.
Apreciação finalVantagens:
  • A dimensão dos compartimentos permite o impensável
  • O tecido tem a qualidade exigida para o conforto do atleta sem comprometer nada
  • A facilidade de utilização durante a progressão é notável
  • O padrão é agradável e a utilização das cores diferencia bem os acessos vários, pormenor importantíssimo durante a prova com o cansaço extremo
  • O preço
      Desvantagens:
  • Tratando-se de um colete, há que gerir a sua utilização em termos de distância a percorrer com responsabilidade
  • Os tamanhos podiam ser pensados em S, M e L, pois senti que o meu XS/M pedia para ser mais XS
Conclusão – Um artigo com a necessária e reconhecida qualidade e utilidade para ser utilizado nos campeonatos, passeios, ou aventuras, constituindo-se como um verdadeiro apoio ao atleta. Recomendo vivamente
Cidália Martins