- Publicidade -

O glicogénio que temos no nosso organismo, especialmente a nível muscular, dá-nos “fôlego” suficiente para aproveitá-lo durante duas horas depois de começarmos a treinar de forma moderada ou com alta intensidade.

Em termos gerais, correr (em função do ritmo) pode ser considerado um esforço físico moderado/alto. Se o objetivo é correr além dos 90 minutos, é aconselhável beber uma bebida isotónica com hidratos de carbono. Se a corrida for inferior a 90 minutos, a água é mais do que suficiente.

Caso seja um corredor de ultra resistência, o mais recomendável são as bebidas isotónicas com aminoácidos ramificados para evitar o catabolismo muscular tão habitual nos esforços intensos e prolongados. Uma bebida isotónica significa que tem um elemento favorável para maximizar a absorção da bebida que ingere e pretende que a concentração de solutos (sobretudo sais minerais) se aproxime ao máximo da concentração de solutos das células do corpo para ajudar a incorporar a água que bebemos de forma mais eficaz, evitando a desidratação.

O principal elemento, sal ou eletrólito (neste caso, podemos considerar que são sinónimos) que perdemos através da sudoração é o sódio, sendo que o potássio também é um elemento a ter em conta nos esforços prolongados. O sódio deve ser o principal elemento presente em qualquer bebida isotónica. Falaremos noutra ocasião sobre cafeína e outras substâncias estimulantes ou “reparadoras” que algumas bebidas apresentam.

 

prozis.com/32cP