- Publicidade -

Em Portugal como na maior parte dos outros países europeus, a taxa de natalidade tem tendência a diminuir., por outro lado, a percentagem de mulheres a correr é muito reduzida. Mas embora muito lentamente, vamos assistindo a um crescer de praticantes desportivas, jovens com idade de engravidarem.

Há atletas que engravidam como Paula Radcliff que continuam a treinar e a participarem nas provas até uma fase avançada da gravidez e que pouco tempo depois de serem mães, voltam às corridas.

Mas essas têm um apoio médico diário, ao contrário do que sucede com a atleta anónima do pelotão. Divulgamos seguidamente um artigo do professor Bruno Njaine, publicado na internet.

Sim à actividade física nas grávidas

Tratando-se de uma gravidez de idade não avançada para se ter um bebé, com histórico de prática de corrida onde, médico e ginecologista diagnosticaram uma gravidez sem riscos, não tem problema algum continuar correndo, contando que não seja voltada para ganhar condição física, apenas para manutenção do peso e saúde.

A actividade física é super recomendada para grávidas pois activa a circulação principalmente das pernas ajudando no retorno venoso evitando inchaços, ajuda nos factores psicológico e hormonal (sensação de prazer com a libertação de endorfina) diminuindo os seus altos e baixos.

Quando se está com sede, o corpo de uma pessoa normal já está aproximadamente 20% desidratado

A prática da corrida tem a ver com as quedas que poderiam ocasionar lesões na barriga, consequentemente no bebé. Na medida em que a barriga cresce, o centro de gravidade da grávida altera-se para a frente e ela tende a compensar o desequilíbrio acentuando as curvaturas da coluna e deslocando os ombros para a frente, exigindo mais da musculatura Além disso” as articulações ficam instáveis por causa do acumular de líquidos no organismo, facilitando ainda mais as quedas em função das mudanças fisiológicas.

Portanto, muito cuidado durante a corrida INo dia a dia, evitem sapatos com salto alto, atenção às escadas e andem próximas a uma parede ou de mão dada com um acompanhante.

Cuidados a ter com o aumento do peso

Em relação ao treino de corrida ao ar livre durante a gravidez, não há dúvidas que a grávida irá ter um esforço muito grande pelo aumento do seu peso, que será de 9 a 13 quilos, sendo necessário à diminuição da intensidade e volume dos exercícios de forma gradual ao aumento do peso, diminuindo o impacto. Temos que dar uma importância grande ã região lombo-pélvíca que é mais exposta a dores e lesões. O fortalecimento e alongamento da musculatura para vertebral pode ser feito até aproximadamente o quarto mês, quando a barriga começa a crescer significativamente, o volume passa a impossibilitar o posicionamento do exercício em decúbito ventral (de barriga para baixo).

Depois, apenas alongamentos e exercícios de respiração é o suficiente, a musculatura será bastante exigida com o peso da barriga evitando excessos
e contracturas.

Beber bastantes líquidos

Em relação à reposição energética, o ideal é ser orientada por um nutricíonista. É importante ingerir bastante líquido durante todo o dia e rehidratar de dez em dez minutos durante a actividade física, evitar ficar em jejum e andar sempre com uma fruta para uma ingestão rápida. Quando se está com sede, o corpo de uma pessoa normal já está aproximadamente 20% desidratado. Imaginem uma grávida que tem de hidratar o seu corpo, rehidratar o líquido perdido durante o treino e hidratar o seu bebé em crescimento,ou seja, tem que beber bastante líquido antes de sentir sede.

Os abortos espontâneos ocorrem por má formação do feto, não pelos exercícios que as ‘grávidas realizam.

Mito
Muitas mulheres acreditam que nos três primeiros meses, a gravidez é mais fácil porque é quando acontece a maior parte dos abortos. Mas esta é uma ideia errada. Os abortos espontâneos ocorrem por má formação do feto, não pelos exercícios que as grávidas realizam.

Para grávidas que não praticavam corrida antes da gravidez, convém evitar correr nos primeiros 12 meses para não ocasionar desgaste excessivo do corpo. Pode-se ter outras linhas de actividade física com menos impacto.
Caminhadas leves de 20 minutos e hidroginástica, seriam nesse caso actividades mais recomendadas.

POR:MANUEL SEQUEIRA