Correr no frio é bom, mas exige cuidados

0

Correr no frio exige alguns cuidados para treinar com segurança e, claro para que o desempenho seja satisfatório ou além das suas expectativas. Para tal, eis um pequeno guia com pontos imprescindíveis para correr no frio:

Aquecimento

Se essa parte do treino é importante no calor, imagine no frio. Por mais agasalhado que esteja, os músculos não necessariamente estão. Investir mais tempo no aquecimento em dias mais frios vai ajudar a ativas os músculos utilizados na corrida com mais eficiência. Uma sugestão é investir nos exercícios educativos.

Hidratação

Tem gente que bebe menos água no frio, pois pensa que o corpo precisa de menos líquidos por transpirar menos. Isso realmente é verdade, mas muitos acabam a reduzir demais a hidratação, o que facilita o risco de lesões. Portanto, fique sempre atento à coloração e cheiro da urina (ela deve estar sempre mais clara e sem odor forte).

Alimentação

Temperaturas mais frias realmente pedem alimentos mais encorpados e bebidas alcoólicas mais fortes. Ou seja, tudo o que pode afetar o seu desempenho nos treinos. Não que não deva comer ou beber nada, mas tome cuidado para não realizar um treino mais forte após uma refeição mais pesada, pois isso também fragiliza o corpo.

Vestuário

É comum começar a correr no frio com uma blusa e tirá-la no meio do treino. Só tome cuidado como irá carregar as peças de roupa. Isso mesmo: parece exagero, mas tome cuidado com a forma de amarrá-la (não aperte demais e não deixe o nó gerando pressão em qualquer região do corpo) ou de segurá-la (tente revezar as mãos, esquerda e direita).

Alongamentos

Se você sentir que a musculatura está fria, EVITE alongar-se. Dê preferência ao aquecimento ativo, movimentando as articulações e usando os músculos com baixa intensidade. Se você se sente muito bem com o alongamento antes do treino, faça primeiro o aquecimento ativo. Isso pode evitar lesões.

Respiração, essencial para correr no frio

Tente puxar o ar pelo nariz sempre que possível (mas pode usar a boca também). A estrutura do nariz permite que o ar entre mais limpo, quente e húmido nos pulmões quando comparado ao ar que entra pela boca. Considerando que o ar é mais gelado no frio, o corpo será menos forçado quando o ar entrar pelo nariz. Infelizmente em treinos mais intensos, isso fica inviável, mas serve nos períodos mais leves e de descanso, sempre na medida do possível.

Pós-treino

Fique atento ao resfriamento do corpo ao finalizar a corrida. No inverno o resfriamento é muito mais rápido por isso precisamos tomar cuidado, principalmente aqueles que gostam de se alongar depois. Deve-se agasalhar enquanto ainda está quente, inclusive colocar uma calça para manter a musculatura das pernas aquecida. Se ela passar frio, poderá enrijecer e levar mais tempo para se recuperar.

As dicas acima certamente variam conforme a temperatura, nível de tolerância ao frio e costumes de cada atleta. Por isso, não precisa levar isso tudo à risca. Mas se você está começando, faça testes e veja como o seu corpo se adapta ao correr no frio.
Só não desanime quando o verão voltar. O corpo costuma render mais em temperaturas mais frias do que no calor tropical. Mas isso não é regra. Se treinar bem, tudo só vai melhorar, faça frio ou faça calor. Então não pare de correr!