Correr para a felicidade!

0

 

Quem corre conhece muito bem esta sensação. A sensação de conforto, de bem estar após um bom treino ou uma corrida. Não é nada que não tenha uma explicação específica e física: as endorfinas. As endorfinas são substâncias naturais produzidas pelo cérebro durante e depois de uma atividade física. Regulam a emoção, a perceção da dor de forma a ajudar a relaxar e gerar bem estar e prazer. As endorfinas são consideradas analgésicos naturais, reduzindo o stress, a ansiedade, o mau humor, alivia as tensões e são recomendadas no tratamento de depressões leves.

Há pessoas que não gostam muito de fazer exercício, mas adoram a sensação de bem estar de tê-lo feito. Assim, a libertação da endorfina, que origina a sensação de bem estar, provoca esse estado de plenitude que sente o praticante regular de atividade física, principalmente a corrida..

Como se trata de um mecanismo provocado pela adaptação do corpo ao exercício, a endorfina produz-se gradualmente desde o início da atividade. Em determinado momento,  atinge um limiar de produção que a torna perceptível e surge a sensação de bem-estar que persiste mesmo depois do treino. Algumas pesquisas afirmam que os efeitos da endorfina são sentidos até uma ou duas horas após a sua libertação.

É muito natural ouvir atletas que iniciaram as corridas dizerem que não conseguem passar um dia sem correr e, até mesmo, que estão “viciados” pela modalidade. Isso é natural uma vez que o organismo acostuma-se a ter boas sensações e origina a dependência. O corpo sente falta das substâncias libertadas pela corrida como é o caso da endorfina.

A corrida é então uma “droga” que nos encaminha para o bem estar, torna-nos mais autoconfiantes e mais felizes.

Elisabete Ribeiro