DOR NAS COSTAS: MAL QUE ATINGE 80% DA POPULAçÃO

DOR NAS COSTAS: MAL QUE ATINGE 80% DA POPULAçÃO

0

Quem nunca ouviu falar de alguém que sente dor nas costas? Quem nunca sentiu dor nas costas? Seja um atleta amador, atleta de fim de semana, atleta profissional ou até mesmo
sedentário, já sentiu, ou com certeza irá sentir aquela dorzinha desagradável na região lombar, torácica e/ou cervical.

“Dor nas costas” é um termo popular, que na medicina é conhecido como: lombalgia, cervicalgia e dorsalgia, causas de morbidade ou incapacidade funcional. Cerca de 70 a 80% da
população mundial já teve ou irá ter dor nas costas ao longo de sua vida.
As principais causas da dor nas costas são:
– Excesso de peso; Excesso de gordura abdominal;
– Fraqueza abdominal;
– Encurtamento da musculatura posterior das
pernas;
– Encurtamento da musculatura lombar;
– Joelho varo ou valgo excessivos;
– Utilização inadequada de palmilhas;
– Utilização de ténis inapropriado para o seu tipo de pé.

Desportistas – Nem mesmo os atletas, ou praticantes de corridas de longa distância, estão imunes. O atleta de corrida com dor nas costas deve alongar bastante a musculatura posterior
e lombar e trabalhar sempre a musculatura abdominal. É essa musculatura que dá sustentação e estabilidade durante os seus treinos de corrida e competição, diminuindo assim
a probabilidade de ocorrer esse fantasma, que incomoda muitas pessoas.

Atletas da natação também são propensos a sentir dor nas costas, devido à biomecânica do nado. No ciclismo não é diferente, a biomecânica do atleta na bicicleta, faz com que haja um
excesso de stress na região lombar, dorsal alta e cervical, tornando esses atletas fortes candidatos a terem dores nas costas. Mas a actividade física pode ser uma forma preventiva e
contribuir imensamente no tratamento dessa dor, desde que seja praticada correctamente.

Sedentarismo – as pessoas sedentárias também estão propensas à dor nas costas. Isso porque, quando a musculatura da região lombar é estimulada (há falta de força e falta de
alongamento) ocorrem espasmos.

Quando isso acontecer, a melhor atitude é procurar um médico, iniciar um trabalho de exercícios regulares, sessões de alongamento, isto é: começar a ter qualidade de vida. Um
profissional de educação física é a pessoa ideal para orientar os seus exercícios. Em casos agudos de dor, repouso é sempre bem-vindo. Mas a orientação médica e fitoterapêutica
também ajudará bastante. Lembre-se que a dor nas costas não é incapacitante quando diagnosticada e tratada precocemente.