Dor nos joelhos

0
Ilustração: Erika Onodera e Alexandre Affonso

O joelho é, sem dúvida, a articulação do corpo mais exigida durante o pedal. Considerado o calcanhar de Aquiles dos ciclistas, é preciso sempre estar atento a dores localizadas. Elas possivelmente são indício de algum problema que, se não tratado prontamente, pode se tornar crónico devido ao esforço repetitivo. É o caso da condromalácia patelar, uma das lesões mais comuns em joelhos de ciclistas.

A seguir, o dr. Moisés Cohen, chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do desporto, explica o que é e como prevenir o problema.

O que é
A condromalácia ou condropatia patelar é uma lesão crónica e degenerativa que danifica a cartilagem articular da patela, comprometendo sua estrutura. Ela pode acometer desde a superfície até as camadas mais profundas, chegando até a exposição do osso subcondral (osso abaixo da cartilagem). 

Diagnóstico
A lesão é caracterizada por dor na região anterior do joelho, associada à crepitação (barulho no joelho) e/ou ao derrame articular — nos casos mais avançados, pode haver bloqueio da articulação. A partir do sintoma, deve-se fazer a avaliação clínica, com auxílio de ressonância, que detalha a localização, extensão e profundidade da lesão.

Causas
A sobrecarga de atividade física, o desequilíbrio muscular por falta de fortalecimento e alongamento, os desvios de eixo do membro inferior (joelhos para dentro ou joelho valgo) e a presença de alterações na anatomia normal do joelho são fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento da condromalácia patelar.

Tratamento
O tratamento, na maioria dos casos, é conservador. Indica-se fisioterapia especializada e um posterior trabalho de fortalecimento e alongamento muscular específico para o problema. A intervenção cirúrgica só é necessária em casos avançados da lesão, nos quais não se obteve boa resposta com o tratamento conservador.

Prevenção
A prevenção deve ser feita com a identificação e correção — quando possível — dos fatores de risco. Além disso, exercícios de fortalecimento e alongamento muscular, quando frequentes e direcionados, contribuem para evitar a lesão ou sua progressão — nesse caso, é fundamental que eles sejam orientados levando em conta os déficits encontrados na avaliação feita pelo fisioterapeuta.

Fortalecimento
Exercícios para o fortalecimento da musculatura abdominal e do quadril são muito importantes, pois auxiliam na estabilidade do tronco e da bacia, o que interfere diretamente na posição dos joelhos. Assim, devem-se fortalecer glúteos, isquiotibiais (posteriores da coxa) e adutores, além dos abdominais e dos músculos ao redor da cintura.

Alongamento
Os exercícios de alongamento devem abranger todos os grupos musculares dos membros inferiores — flexores, extensores, adutores e abdutores — e de preferência ser feitos com orientação de um profissional.

Matéria publicada na revista VO2 Bike, edição 100