Hora certa de evoluir…

0

E comum entre os corredores, a vontade de evoluir na modalidade. Aumentar a distância percorrida nos treinos e, consequentemente, nas provas, faz parte deste objectivo tão corriqueiro e normal. Entretanto, para que isso ocorra, é necessário saber o momento certo e, principalmente, como fazer essa transição. Para muitos treinadores, o atleta tem de estar confortável na quilometragem que percorrer normalmente antes de aumentar a carga de treino e corrida (aumentando a distância). Para alguns técnicos, atendendo aos objectivos dos seus corredores, ao fim de seis meses de corrida para uma determinada distância já está na hora de evoluir.

Primeiro passo
O primeiro passo para quem quer evoluir é avaliar se está a sentir-se bem na distância actual. Caso o atleta faça os treinos sem dores e com conforto, o treino pode passar para outra etapa. Por exemplo, se já corre tranquilamente um percurso de cinco quilómetros, pode aumentar o volume gradualmente, apenas no último treino da semana.

Vários treinadores e especialistas apontam a importância de evolução gradual, nunca mais de 10 por cento na primeira semana, mantendo-o na segunda semana, aumentando de novo cerca de 10 por cento na semana seguinte, mantendo na quarta, aumentando na quinta e assim por diante.

Mas, relernbra-se, é importante levar em conta que o corpo precisa de se adaptar a esse crescimento de esforço. Então, ao sentir-se num ritmo confortável, vai aumentando até chegar ao seu objectivo. O ideal é que essa evolução comece com o aumento de volume, ou seja, ficar o maior tempo possível correndo, para depois trabalhar na intensidade dos treinos. Além disso, não parta logo de caras para uma prova com o trajecto que almeja. É importante que o corpo esteja acostumado com a distância através dos treinos.

«Cautelas e caldos de galinha… »
Como refere o ditado, «cautelas e caldos de galinha, nunca fizeram mal a alguém». É de extrema importância controlar a ansiedade. Um dos problemas comuns de quem quer passar para uma nova distância é a pressa em evoluir. Mas é importante respeitar o princípio básico do treino, que impõe igualou superior recuperação. O corredor precisa respeitar os dias de descanso. Por estar aumentando a quilometragem e intensidade, ele ficará mais cansado e precisará de uma boa recuperação.

A musculatura adapta-se mais facilmente a esse aumento da distância, do que outras estruturas do corpo, nomeadamente os ligamentos, tendões e ossos.

Pequenos conselhos:
Nunca se reveja noutra pessoa. Cada caso é um caso, esse aumento, tanto nos treinos como nas provas, deve ser feito com base no tipo físico, histórico e objectivo do atleta.
– Verifique se não está com nenhuma lesão,para não a agravar, nem durante os treinos, nem na hora da competição.
– Cuide da sua alimentação e hidratação, elas precisam estar em sintonia com a evolução no treino.
– Respeite o dia de descanso. Nesta fase de aumento de volume, o atleta precisará de uma boa recuperação e de muita resistência.
Antes de qualquer alteração nos seus treinos, procure o acompanhamento de um profissional. Independentemente da distância a que pretende chegar, um treinador o auxiliará a fazer essa evolução da forma correcta.