LOUZAN TRAIL integra o circuito Salomon Golden Trail Series

0

Pela primeira vez, uma prova nacional integra o circuito internacional Salomon Golden Trail Series. O LOUZAN TRAIL, na Serra da Lousã, foi o evento escolhido pela organização da Salomon Golden National Series para “abrir” a edição deste ano do circuito e ombrear com provas míticas como a Maratón Del Meridiano (2 de Fevereiro, La Frontera-El Hierro, nas Canárias, Espanha), o Trail Cap de Creus (7 de Abril, Costa Brava, Espanha), a Zegama Aizkorri (2 de Junho, País Basco, Espanha) e a Grande final na Sky Pirineu (5 de Outubro, Catalunha, Espanha). Nos dias 26 e 27 de Janeiro, o LOUZAN TRAIL, organizado pelo Montanha Clube Trail Running, dá a conhecer os trilhos outrora calcorreados pelos habitantes da região, a milhares de atletas, numa edição que marcará definitivamente a afirmação do evento no panorama internacional.

“A entrada no circuito Golden Trail Series é o reconhecimento, ao mais alto nível, da qualidade do LOUZAN TRAIL. Apesar de em 2018 termos acolhido atletas oriundos de locais tão distantes como a Argentina e o Japão, sabemos que será a edição de 2019 que nos colocará definitivamente no circuito internacional. Esta projeção permitir-nos-á atrair patrocinadores e investidores que, esperamos, nos permitam avançar com projectos de cariz permanente para a valorização dos trilhos da Serra da Lousã”, destaca Ana Sêco, da organização.

Foto de Matias Novo

Em nome da organização do circuito Salomon Golden Trail Series, José Guimarães, do marketing da Salomon/Suunto Portugal, refere: “O LOUZAN TRAIL não é uma prova desconhecida para a Salomon. Na verdade, não só a marca tem seguido com interesse as edições anteriores da prova, como os seus atletas conhecem bem o potencial da Serra da Lousã, sendo habitual para eles treinar nesses trilhos. A filosofia por detrás do trail running implica uma conexão profunda do atleta com o meio envolvente. Correr nos trilhos da Serra da Lousã permite a catarse do atleta, o seu regresso às origens e uma ligação à história natural do nosso país. Afinal, os trilhos que ligam as Aldeias do Xisto, agora recuperados para a prática da modalidade, foram durante centenas de anos percorridos pelos habitantes da serra.”

Foto de Miro Cerqueira

Ultra, longo, curto e muito mais

A história destas gentes poderá, pois, ser apreciada em diferentes distâncias, com vários níveis de dificuldade. Do programa fazem parte o LOUZAN TRAIL ULTRA (43 km e 3000 metros de desnível positivo), o LOUZAN TRAIL LONGO (29 km e 2000 metros de desnível positivo), o LOUZAN TRAIL CURTO (16 km e 1260 metros de desnível positivo), mas também uma caminhada (10 km e 500 metros de desnível positivo) e a Corrida dos Rapozinhos. É este o cardápio que vai permitir à organização “proporcionar aos atletas os melhores trilhos, dando-lhes a conhecer a história dos povos serranos. Será claramente o regresso às nossas origens”, promete Ana Sêco.

São muitos os atletas que já aceitaram o convite, elite internacional e nacional incluídas. Entre os nomes mais sonantes, a organização destaca: Anete Svilpe, segunda melhor atleta da Letónia, de acordo com a pontuação da International Trail Running Association (ITRA); Andris Ronimoiss, vencedor do Madeira Island Ultra Trail 2018, e melhor atleta letão, de acordo com o ranking da ITRA; Bruno Coelho, atleta da Selecção Nacional de Trail e vencedor do Azores Trail Run 2018; Luis Duarte, atleta da Selecção Nacional e Trail 2018 e vencedor do Ultra Trail Serra Da Freita 2018; André Rodrigues, melhor português no Campeonato do Mundo de Trail 2018 e vencedor do Trilhos Dos Abutres 2018; Ricardo Silva, vencedor do Ultra Louzan trail 2018; Luis Semedo, vencedor da Taça de Portugal de Trail 2018, Tiago Aires e Olívia Sousa, ambos atletas da Selecção Nacional de Trail em 2017. São ainda convidados da organização nomes incontornáveis como o italiano Rota Donatello ou os portugueses Ester Alves, Romeu Gouveia e Tiago Romão da Equipa Salomon/ Suunto Portugal.