MANUAL DO ANTES E DEPOIS DA PROVA

0

Listamos algumas dicas para você não se atrapalhar e sentir o menor desconforto possível MANUAL DO ANTES E DEPOIS DA PROVA.

Antes da prova
No dia da prova, a preparação começa bem cedo. Já na véspera, evite dormir tarde: o seu corpo precisa de uma boa noite de sono para não faltar energia na hora da corrida. O café da manhã bem leve, sem exageros deve ser tomado cerca de duas horas antes da prova. Além disso, leve uma fruta para comer uma hora antes da largada.

Procure chegar cedo ao local da prova, evitando tumultos e atropelos com os demais participantes. E saia de casa já o com número colocado na camisa e o chip aplicado no tênis. Assim, sobrará tempo para um aquecimento caprichado, outro procedimento importante na preparação para a corrida. Para se evitar problemas durante o percurso, faça também uma sessão de alongamento antes da prova. Isso ajudará a soltar a musculatura.

Na hora de se posicionar para a largada, escolha um lugar de acordo com seu pace. Lembre-se de que, sendo iniciante, você não correrá no mesmo nível da elite. Portanto, é preferível ficar no fundo do pelotão a se meter onde não deve e provocar acidentes e estresses na hora de dar as primeiras passadas. Aliás, no início da corrida, não exagere na passada.

É muito importante que você respeite o seu ritmo e não se preocupe com o dos outros. Caso precise caminhar durante a competição, não hesite, pois o desgaste é grande e um refresco, bem-vindo.

Já na chegada, não pare de correr bruscamente. Procure manter um ritmo e ir desacelerando aos poucos, até que seus batimentos cardíacos voltem ao normal.

Pós-prova

O desaquecimento é a última (e igualmente importante) etapa a ser cumprida. Terminada a prova, faça um trote bem leve de pelo menos cinco a dez minutos, para ajudar na remoção do ácido lático. Além disso, volte a ingerir alimentos o mais rápido possível.

É comum após um grande esforço, como o provocado por uma corrida, aparecerem dores no corpo. Para livrar-se delas, uma boa pedida é recorrer aos chamados repositores nutricionais, ricos em carboidratos e proteínas, capazes de agilizar o processo de manutenção do corpo.

Outra forma de combater as dores pós-exercício e apelar para a crioterapia, ou “banho de gelo”, como essa técnica empregada para recuperar os atletas é chamada popularmente. Com no máximo 20 minutos de imersão no gelo, já é possível perceber um controle das dores. Mas fique atento. Se o tratamento passar do tempo estipulado 20 minutos o efeito pode ser o inverso, trazendo prejuízos ao atleta.

O uso do gelo também é indicado para a prevenção daqueles problemas musculares que costumam surpreender os corredores, dependendo da carga do treino.

Caso as dores persistam, porém, deixe o gelo de lado e trate de procurar um médico especialista, para descobrir a origem do desconforto. Você não vai querer estragar tudo depois do grande dia, vai?

Fonte: www.ativo.com