- Publicidade -

Os batoteiros são uma praga existentes a todos os níveis da sociedade. Também no atletismo, eles vêm crescendo utilizando as mais diversas manhas para enganarem as organizações. Agora, a Maratona de Valência decidiu endurecer o regulamento da prova ao incluir no seu artigo 15.1, ações e medidas legais contra os corredores que falsifiquem, copiem ou corram sem dorsal, que não só provocam grave prejuízo para a corrida como para os restantes corredores que têm direito aos serviços que a prova oferece aquando da sua inscrição.

Copiar, falsificar ou correr sem dorsal

Entre as irregularidades que darão lugar ao início das ditas ações, encontram-se entre outras, não estar inscrito na prova e portanto, não ter dorsal/chip; correr com um dorsal/chip que não corresponda ao seu ou correr com um dorsal/chip falsificado.

Pode-se ainda ler no regulamento “aqueles corredores que sejam identificados como corredores infratores pela Organização no dia da prova, serão retirados, identificados e expulsos pelo pessoal de segurança da prova”.

Eis uma medida que se saúda e que pode ser aplicada noutros países como Portugal onde a praga dos batoteiros é uma realidade em expansão.

 

Fonte Revista Atletismo