Nada é impossível e toda a conquista começa com a decisão de tentar!Susana Rodrigues

0

Tudo começou quando tinha 15 anos e pesava 90kgs. O meu pai atleta de competição, que corria todos os dias com um grupo de amigos atletas, alertava-me o quanto era importante iniciar qualquer atividade desportiva, deixar o sofá e acima tudo os bolos, bolachas, chocolates, refrigerantes que faziam parte da minha rotina diária. Correr para mim era algo impensável com o qual não me identificava. Um dia fui desafiada por três raparigas que corriam com o meu pai e os amigos a fazer uma corrida/caminhada desde minha casa até à praia do Meco.

Desafio aceite! Sentia-me super pesada mas tinha ficado entusiasmada e certamente iria voltar a experimentar. Tudo começa aqui….atrás desta começaram as corridas em estrada, em mato, na praia e surge a 1ªprova  uma simples estafeta do 25 de Abril. O corpo começou a responder, mais leve, com muito mais força e garra e a querer cada vez mais. A minha vida deu uma reviravolta, iniciei a prática de atletismo federado, planos de treino semanais e competições ao fim de semana ora em estrada ora em pista. Na altura tinha dois treinadores, o meu pai que visionava tudo o que fazia e o Alcídio Costa que me prescrevia os treinos e em dias de séries estava presente para controlar mais pormenorizadamente os tempos. Participei em várias competições de estrada, de pista, corta-mato, tendo conseguido o 1º lugar de júnior no corta-mato regional.

Aos 18 anos, entro na faculdade e estava perante um dilema ou estudava ou continuava no atletismo, pois fazer as duas coisas estava a tornar-se impossível. Decidi ingressar na vida académica com alguma tristeza por ter de abandonar as corridas. Durante 10 anos, não fiz nada de desporto nem quando sai da faculdade, no entanto, o desporto era sem dúvida a minha grande paixão mas a vida agitada de emprego, aulas que dava etc não me permitia fazer nada.

A idade foi aumentando e claro o corpo precisava ser exercitado, e eis que surge a inscrição num ginásio. Inicialmente frequentava apenas dois dias, depois passou a 3 e atualmente frequento 5/6 dias. O treino incorporava sempre corrida na passadeira, aulas de grupo e musculação. Surge então a participação na Corrida da Mulher, depois a Corrida de Sesimbra, a Corrida da Ponte 25 de Abril e a passadeira é trocada pelo exterior, pela adrenalina de correr em estrada. O ano passado desafiada pela amiga e companheira das corridas Carla Santos aventurei-me a fazer a minha primeira meia maratona que seria a da Ponte Vasco da Gama. Foi na véspera da prova que decidi experimentar essa distância e não tinha qualquer preparação para tal nem treinos longos nem series nem o devido descanso.

Na companhia da minha amiga, do seu pai e de outro amigo do ginásio, vivi uma aventura única. Não foi fácil tendo em conta que não me tinha preparado devidamente mas, a sensação de chegar à praça do comércio foi incrível. Após esta seguiram-se mais quatro meias-maratonas com preparação graças às dicas do Martim Nunes, atleta de competição que tem uma vasta experiência no mundo do atletismo.

Atualmente, o atletismo faz parte do meu dia-a-dia, agora com um outro significado visto que tenho a companhia da minha irmã Cristiana Rodrigues um exemplo para muitas pessoas. Esta menina enfermeira de 24 anos era alguém que detestava qualquer prática desportiva, sendo agora uma adepta 100% de correr, fazer desporto e participar em todas as provas que consiga. Em janeiro tinha aproximadamente 90kgs e atualmente tem 63 graças à prática de desporto e de uma reeducação alimentar. Ambas fazemos parte de um grupo de corrida os ZIMBRA FOX RUNNERS que conta com membros que fazem curtas e longas distâncias assim como trail e o qual nos tem dado grande apoio e motivação.

 

Nunca esquecer que, nada é impossível e toda a conquista começa com a decisão de tentar!