O que devem saber sobre o café

0

Está comprovado que um simples café tem uma maior quantidade de antioxidantes que a encontrada em alimentos como banana, maçã, abacate, vinho tinto, chá verde e nozes

Está comprovado que um simples café tem uma maior quantidade de antioxidantes que a encontrada em alimentos como banana, maçã, abacate, vinho tinto, chá verde e nozes

Desde o seculo XVII que o café inspirou poetas e cientistas, designado como “líquido saudável que transforma génios, ajuda a memória, reanima os desgostosos e cura os loucos.” Actualmente o café continua a prender a atenção de médicos, cientistas e pesquisadores, pelas suas propriedades antioxidantes e estimulantes.

Consumido em larga escala, o café é hoje a principal fonte de antioxidantes, inclusive de desportistas. Está comprovado que um simples café tem uma maior quantidade de antioxidantes que a encontrada em alimentos como banana, maçã, abacate, vinho tinto, chá verde e nozes.

Conheça os benefícios que a cafeína tem para a saúde e desempenho desportivo:

Aumenta o desempenho desportivo

Rapidamente absorvida pelo organismo, a cafeína atinge o seu ponto máximo no sangue entre uma e duas horas depois de ingerida.

Pesquisas divulgadas em 1999 pelo American College of Sport Medicine, afirmam que a ingestão de 3 a 9 miligramas de cafeína, uma hora antes do exercício aumenta a performance do atleta, tanto na corrida como no ciclismo de longa duração.

O aumento de adrenalina no sangue provocado pelo café chega mesmo a reduzir a necessidade de consumir hidratos de carbono.

Já no caso das actividades de curta duração, embora sugiram que a ingestão de cafeína melhora o desempenho durante um exercício com aproximadamente cinco minutos, em relação às corridas as mesmas pesquisas não são conclusivas.

Correr mais, agir rápido

Cientistas australianos deram a atletas a dose de 300 miligramas de cafeina (equivale a duas ou três chávenas de café), uma hora antes de executarem um conjunto de seis sprints de 20 metros. Os corredores que consumiram cafeína correram mais rápido e mais longe que os restantes.

Pesquisadores acreditam que o estimulante proveniente da cafeína aumenta o tempo de reacção e velocidade. Pode-se assim concluir que, a cafeína é útil para corredores em provas de resistência ou de obstáculos, onde é necessária velocidade e decisões imediatas.

Não desidrata

Estudos descobriram que beber até cinco chávenas de café tem pouco ou nenhum efeito na hidratação. Em média, pode-se consumir até 550 miligramas de cafeína (cerca de cinco chávenas de café) sem afectar os níveis de hidratação.

Algumas marcas de bebidas desportivas e suplementos energéticos já incluem cafeína.

Estimula o cérebro

O café contém uma série de substâncias (incluindo polifenóis) que agem directamente no sistema nervoso central, ajudando na concentração, memória, raciocínio e, segundo pesquisas recentes, previne doenças como Alzheimer.

Previne diabetes do tipo 2

Nove trabalhos científicos da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, concluíram que o consumo regular de café previne a maioria dos casos de diabetes do tipo 2. Contudo, ainda é desconhecido como a bebida actua exactamente neste caso.

Melhora a recuperação pós-treino

Corredores sabem que precisam de hidratos de carbono para recompor as reservas de glicogénio após a actividade física, mas um estudo recente sugere que a cafeina contribui igualmente para a recuperação. Segundo o mesmo, atletas que consumem hidratos de carbono e cafeína podem chegar a recuperar os níveis de glicogénio a 66 por cento mais do que os que não incluem cafeína na sua recuperação.

A actuação da cafeína no organismo depois do treino impede também o surgimento de dores musculares e auxilia na perda de peso.

Embora as evidências apresentadas por muitos pesquisadores considerem o café um alimento benéfico, ainda não é em unanimidade absoluta. Sendo a cafeína um poderoso estimulante, é importante ter em conta que não se deve beber café como se fosse água.

O consumo excessivo de café pode provocar efeitos negativos, como tonturas, ansiedade, fadiga, palpitações cardíacas, rigidez muscular, e prejudicar o desempenho de um atleta na corrida, por exemplo.

O ideal é manter a moderação, consultar o médico para verificar se não tem nenhum impedimento para o consumo de café, e praticar desporto regularmente.