OK fiz MARATONA, e agora?

0

Num momento em que já passamos pelas duas fantásticas Maratonas Nacionais: a de Lisboa e a do Porto estando ainda os atletas a trocar impressões sobre as suas prestações, aqui estão alguns conselhos que poderão ser uteis para o próximo desafio, para aqueles que ainda não conseguiram atingir as suas metas ou ainda para aqueles que querem melhorar o seu desempenho.

…“A Maratona é uma corrida que exige o máximo de cada uma das partes do teu corpo (não só das pernas) e por isso requerer que chegues em ótimas condições no dia da prova.

O ideal deverá ser sem qualquer lesão ou dores, bem alimentado, descansado física e mentalmente. Basicamente, precisas estar na linha de partida num estado ótimo de saúde.

No entanto, uma grande parte dos corredores que se apresentam a correr para uma maratona, estão cansados, estressados, com lesões físicas que em muitos casos são de grande importância e cuidado.

Este tipo de problema não só afeta o rendimento desportivo, como pode pôr em risco a tua saúde; impossibilitar de finalizar uma prova, agravar uma lesão e fazer-te sofrer em demasia, num evento que deveria ser uma festa desportiva.

Por isso, para continuares, dar-te-emos quatro bons conselhos para chegar em ótimas condições no próximo objetivo de concluir uma Maratona.

  1. NÃO DESCUIDAR DO TEU CORPO 

A diferença de outras provas mais curtas, para uma maratona é que precisas estar muito fresco no próprio dia. Mesmo que, em provas curtas faças um treino duro na semana que a antecede, consegues recuperar sem problemas, mas para um maratonista será melhor fazer menos que mais.

Na maioria dos planos de treinos, é normal que nas semanas prévias a uma maratona, que seja previsto um descanso nas cargas de treinos (o “abrandamento”), contudo, para lá do plano é importante que escute o teu corpo.

Se te sentes demasiado cansado com os meses de treinamento duro/forte e o teu plano determina um tipo de treino naquele dia, não te deixes ir pela sua rigidez e estruturação: tire um dia de descanso extra se assim o precisas. Na dúvida, recorde-se sempre, o teu objetivo é chegar nas melhores condições possíveis no dia da partida. 

  1. O IMPORTANTE ESTÁ FEITO 

É praticamente impossível escutar um corredor depois de uma maratona dizer: “deveria ter treinado mais duro nas duas últimas semanas”. O mais normal será: “deveria ter treinado menos e estar mais descansado”.

Nas semanas que antecedem uma maratona, o importante deveria ser “ESTÀ FEITO/TERMINADO”, não havendo nada que pudesses fazer para mudar positivamente o resultado (a não ser para arruiná-lo).

Nas 2/3 semanas prévias ao dia da maratona, o trabalho já está terminado e o importante será trabalhar para não perder a forma física e estar saudável.

Ademais, será excelente para desfrutar ao máximo esse momento anterior à maratona. 

  1. NÃO TE PREOCUPES COM OS QUILÓMETROS 

A redução do volume de cargas é um clássico dos planos de treino para a maratona, assim como o temor de perder a forma física.

No entanto, é importante que não te preocupes com os quilómetros que corres menos nas semanas antes de uma maratona. Recuperas o ponto 1 e 2 acima referenciados. Presta atenção ao teu corpo e recorda que o mais importante está feito – o treino.

Estudos indicam que a redução do volume de treino não é um problema para a forma física, sendo o mesmo necessário para estar 100%. O problema pode ser eliminar treinos de qualidade nas semanas prévias à maratona. 

  1. NÃO PERCAS O CONTROLE 

Reduzir o volume de treino durante 2/3 semanas, depois de meses a treinar forte, é muito difícil para um corredor. A ansiedade cresce e o excesso de energia será inevitável e a perda do controle é muito fácil de acontecer.

Para manter esse controle, o mais recomendável será tentar manter a rotina de treinos (apesar da redução de volume). Ou seja, se costumas treinar 5 dias na semana, manter a mesma estrutura te ajudará a minimizar a ansiedade.