- Publicidade -

Após uma sessão mais intensa ou prolongada de treino cardio-vascular, como a corrida, o suor pode apresentar um cheiro amoniacal. A amónia é um composto de fórmula química NH3, portanto rico em azoto (N). A presença de amónia na urina ou no suor deve-se a um excesso dos níveis de azoto no corpo.

Para identificar a origem deste excesso é necessário compreender como o nosso corpo funciona.

O metabolismo pode ser dividido em dois ciclos que ocorrem alternadamente: o anabolismo, em que ocorre a síntese de matéria orgânica (como o músculo); e o catabolismo em que ocorre a degradação de matéria orgânica. O aumento de massa (gorda ou magra) significa que a fase anabólica predomina sobre a fase catabólica. A fase anabólica ocorre quando o saldo de energia é positivo e a fase catabólica ocorre quando o saldo de energia é negativo, como em períodos prolongados de jejum, de exercício ou de doença.

Durante a fase catabólica, o corpo produz glucose a partir das proteínas de modo a obter “combustível” para o bom funcionamento dos músculos e do cérebro. Um sub-produto dessa reacção é o azoto, geralmente eliminado pelos rins na forma de ureia. Quando os rins deixam de ter a capacidade de eliminar o azoto então, este passa a ser eliminado pelo suor.

O corpo só utiliza a proteína como “combustível” quando não são ingeridas quantidades suficientes de hidratos de carbono. Algumas pessoas julgam erroneamente que ao eliminar os hidratos de carbono da sua alimentação irão queimar gordura mais eficientemente. Contudo, a gordura não pode ser directamente convertida em glucose. Assim, na insuficiência de hidratos de carbono, o corpo irá recorrer às proteínas para obter a energia necessária. Se a quantidade de proteína consumida através da alimentação for suficiente, então a glucose será sintetizada através dos aminoácidos ingeridos e não da massa magra/ músculo.

Um erro comum consiste em aumentar o consumo de aminoácidos para evitar o catabolismo muscular. Deste modo, apenas se está a promover a reacção catabólica aumentando a quantidade de reagente disponível para a produção de mais azoto. Para evitar o cheiro a amónia no suor deve-se aumentar o consumo de hidratos de carbono. Todas as refeições devem incluir pequenas porções de hidratos de carbono de baixo índice glicémico. Aveia, maçã ou pão integral constituem bons alimentos para um pequeno lanche antes de um treino e garantem que o corpo entra num estado de anabolismo, potenciando a queima de gordura.

No caso dos corredores de fundo, especialmente maratonistas, recomenda-se ainda a ingestão de bebidas energéticas ou outras fontes de hidratos de carbono durante o treino/ prova para fornecer energia aos músculos e sobretudo ao cérebro!

Texto:Andreia Marques
Referências

J. Toothman, “Why does your sweat sometimes smell like ammonia?” health.discovery.com (4/4/2013) http://health.howstuffworks.com/skin-care/information/nutrition/ammonia-sweat-smell.htm

J. Likness, “What is that ammonia smell?” bodybuilding.com (4/4/2013) http://www.bodybuilding.com/fun/ammonia.htm