Possivelmente, Já Terás Ouvido Falar Da Dieta Intuitiva. Então, O Que É O Movimento Intuitivo?

0
- Publicidade -

Sentes que o teu regime de treino começa a levar a melhor? Ou talvez sintas um peso na consciência por não teres aparecido no ginásio a semana inteira. Bem, podes parar.

Pode estar na altura de deixares de dar ouvidos aos outros e prestares atenção ao teu próprio corpo. Para começar, que tipo de exercício te apetece fazer hoje? É nisso que o movimento intuitivo se baseia.

A maioria de nós parou com as dietas incomportáveis quando se apercebeu que ser saudável nem sempre implica magreza, ou abdominais definidos. Portanto, está na altura de usarmos a mesma filosofia no que toca ao exercício.

O que significa ser intuitivo?

Se vires a definição num dicionário, encontrarás algo como:

Baseado no que se pressente ser verdade ainda que sem o envolvimento de raciocínio consciente; instintivo.

No que respeita a comida, isto traduz-se na anti-dieta por excelência. Implica reconhecer as necessidades biológicas do corpo em termos do que comer e quando comer. É apenas isso – em vez de regras, o uso da intuição. Inclusivamente porque às vezes, estamos realmente a precisar de um donut.

O que é o movimento intuitivo?

Apliquemos a ideia ao exercício. Em vez de te sentires que tens que ir treinar, ou mesmo que tens que fazer um dado exercício, porque não tentar dar ouvidos ao que o corpo precisa naquele dia?

O movimento intuitivo não é um regime de treino que passa a regular a tua vida, mas, pelo contrário, um foco no tipo de exercício que parece natural ao corpo no momento, se algum.

Detestas fazer exercício? Corres para queimar calorias? Estes são sinais-chave de que deves reorientar a tua mentalidade na direção do movimento intuitivo. Em vez de deixar o teu treino ser dominado pela cultura das dietas e pela necessidade de treinar para ficar com um dado aspeto, porque não treinar para cuidar do nosso corpo, para socializar, ou pelos benefícios psicológicos?

Talvez esteja na altura de pararmos de encarar o exercício como um castigo e começarmos a realmente desfrutar do treino.

 

 

Como praticar o movimento intuitivo?

A coisa mais importante a ter em mente para começar é não deixar a sociedade decidir os teus objetivos. Em vez disso, estabelece as tuas metas em termos da tua satisfação, saúde e desafio pessoal, em vez de um ideal estético imposto pela sociedade.

Depois, lembra-te que não há tipos de movimento melhores ou piores – todos nos trazem benefícios de formas diferentes e levam a conquistas diferentes, portanto, mantém a neutralidade.

Isto significa que não precisas de fazer uma aula de spin em vez de ioga só porque a primeira queima mais calorias, mas porque gostas mais de spin, ou porque te sentes com disposição para um desafio de resistência naquele dia.

Por último, não há problema se não treinares. Se não dormiste bem, ou estás com dores musculares, tira um dia de folga. Não te martirizes por isso – se descansares melhor, amanhã estarás em condições de dar tudo de ti. Cria uma relação mais saudável com o exercício, usando-o de uma forma positiva na tua vida.

 

Não ter um regime de treino estabelecido significa que não vou ter quaisquer metas?

Não só serás capaz de realizar os teus objetivos, como o movimento intuitivo poderá mudar completamente a natureza esses objetivos. Estarás a treinar por toda uma variedade de motivos, e não só pela aparência.

E não confundas preguiça com intuição – desistir de fazer exercício por completo não te vai tornar mais saudável ou feliz a longo prazo. Portanto, se deres por ti a adiar o treino sem qualquer razão específica, deves fazer um esforço por ir.

E também não implica abdicar de treinar com pesos altos ou de correr a maratona. A consistência que isso envolve passa simplesmente a significar algo diferente – estás a fazer um investimento consistente na tua felicidade e saúde como uma prioridade, e tudo o resto vem por acréscimo.

 

Mensagem Final

Para muitas pessoas, o movimento intuitivo significa uma reformulação completa da nossa relação com o fitness, por isso não devemos desencorajar se for difícil praticá-lo ao início. O mais importante é dar ouvidos ao nosso corpo e encontrar maneiras de nos movimentarmos de que realmente gostemos – isso vai garantir a nossa consistência a longo prazo, e assegura que vamos colher os benefícios do exercício para o nosso corpo e mente.

Fonte: https://pt.myprotein.com/