- Publicidade -

Correr é sempre uma boa opção, mas existe sempre a mesma dúvida: na rua ou no ginásio?

A resposta não é fácil de dar, mas a BBC recolheu alguns dados científicos acerca da modalidade e pesou os prós e contras da corrida in e outodoor, numa espécie de duelo para ver quem chega mais depressa à meta.

No que toca ao gasto calórico, a corrida em si é já uma aliada à perda de calorias, contudo, não existe uma grande diferença quando é feita ao ar livre ou no ginásio. Segundo um estudo da Universidade de Exeter, correr ao ar livre leva a que se gaste apenas mais 1% da energia do que quando se corre na passadeira.

A mesma universidade concluiu que correr ao ar livre melhora o bem-estar das pessoas, uma vez que estão mais próximas da natureza. Mais revitalização, menos tensão, menos confusão, menos raiva e depressão são alguns dos benefícios associado à corrida de rua.

Já a nível de velocidade, a corrida ao ar livre ganha uma ligeira vantagem, uma vez que um estudo levado a cabo em Singapura concluiu que as pessoas que correm na passadeira tendem a fazê-lo mais lentamente, mesmo que pensem que estão numa velocidade elevada ou ao nível dos treinos que fazem na rua.

As lesões são mais frequentes entre os corredores de ginásio, uma vez que a tendência para a repetição é maior. A solução passa ou por correr na rua ou por intervalar alguma inclinação e mudança de velocidade na corrida feita na passadeira.

Assim sendo, pode-se dizer que a corrida ao ar livre é mais benéfica para a saúde em geral, embora a corrida no ginásio não tenha que ser uma carta fora do baralho, pelo contrário, pode ser uma alternativa em que a corrida não rua não se pode realizar – como acontece nos dias de tempestade.

Também o El Confidencial se debruçou sobre o assunto e, no início deste ano, publicou um artigo em que revela algumas dicas para correr na passadeira, revelando que este tipo de corrida pode ser um substituto ao treino ao ar livre.