Qual o seu potencial na maratona

0

Estamos a escassas semanas da realização da Maratona de Sevilha, prova que leva centenas de portugueses. Muitos corredores ao pretenderem enfrentar a mítica distância de 42.195 metros interrogam-se quando às suas potencial idades num esforço tão longo. Comeste texto pretendemos dar uma ajuda e utilizando para o efeito uma base teórica de análise das potencialidades de cada candidato a maratonista.

O Atletismo é uma das poucas modalidades desportivas em que existe a possibilidade de comparar teoricamente as marcas, sem se atender à idade dos praticantes e ao seu passado desportivo. Nos dias de hoje, é muito frequente vermos alinhar para uma mesma distância ” praticantes de níveis etários bem diferentes, com 201,prestações desportivas igualmente diversas e com a particularidade de alguns desportistas menos jovens correram muito mais rápido do que os seus companheiros mais novos.

Mesmo que esses corredores não consigam a vitória, não há dúvida de que algumas das suas marcas espantam qualquer um pelo seu nível, pelo que não será de estranhar que, em torno de tal situação, se levante uma questão bem pertinente: se o autor do feito tivesse nesse dia menos idade, qual a marca que poderia obter na mesma distância?

A revista alemã “Spiridon Laufmagazin”, publicou um artigo da autoria do Dr. Jurgen Kuhlmey, tecendo considerações em torno de uma tabela para comparação de resultados entre praticantes com idades inferiores a 34 anos e veteranos até ao escalão M70 (praticantes masculinos de corrida com mais de 70 anos).

A base de trabalho deste especialista alemão teve em atenção que as melhores marcas na maratona são obtidas quando o atleta ainda não atingiu os 40 anos, e embora se verifique um ligeiro decréscimo nas faculdades de Endurance (um corredor de 55 anos terá perdido cerca de 10% dos seus níveis de Endurance), a verdade é que ainda vamos encontrar especialistas na maratona capazes de excelentes marcas nesta distância, não obstante as suas idades já figurarem há vários anos nos escalões etários
mais idosos.

O quadro em anexo mostra-nos os vários factores matemáticos a ter em atenção, tanto para corredores masculinos como femininos, e se é certo que esta última categoria aponta para maiores decréscimos de potencial consoante o avançar da idade, também devemos considerar o facto do historial das senhoras na prova de maratona ter menos anos do que o dos seus colegas masculinos. Em termos práticos, estamos perante uma tabela de factores muito equilibrada e que, actualmente, é utilizada por vários organizadores de provas e dirigentes de clubes, tendo em vista a elaboração de classificações finais complementares das suas competições de 42 km.

Resumindo, podemos dizer que se trata de mais uma “ferramenta” de trabalho para todos aqueles que gostam de correr essa distância e que, não obstante o avançar da idade, ainda têm gosto em competir e não perdem uma oportunidade de o fazerem.

Tomemos, como exemplo, um atleta que completou a distância da maratona em 4h24.44 e que apresenta a bonita idade de 70. anos (pertencente ao escalão M70). Como poderemos comparar tal marca e atribuir-lhe o devido valor? Vejamos, passo a passo, como se deve proceder.

1- Transformar o tempo obtido pelo atleta, que está, como é natural, em horas, minutos e segundos, apenas em minutos, de que resulta um total de 264 minutos e 44 segundos. Como os segundos, em relação aos minutos representam uma fracção de 0,7 (44 : 60), encontramos o factor final de 264,7.

 2 – Multiplica-se esse resultado final pelo factor da idade indicado no quadro, o qual, neste caso particular de um M70, vai implicar a multiplicação por 0,75, de que resulta um número final de 198,5.

3 – Esse número, que é o de minutos, representa, portanto, 3hI8,5. Sendo este decimal de 0,5 transformado em segundos, encontramos, finalmente, a marca possível, 3hI8.30, para o mesmo atleta em idade sénior.

Vejamos outro exemplo. Estamos perante um corredor com 57 anos (escalão M55), cuja  marca obtida esta época na maratona é de 3h09.16. Qual seria o seu valor na distância, partindo do princípio de que é na idade de sénior que, regra geral, se obtém melhor marca.

Teremos, portanto:

 1 – 0 tempo de 3h09.16 corresponde a, 189 minutos e 16 segundos. Sendo 16 segundos 0,2 de minuto, surge o factor 189,2.

2 – Multiplicando esse factor pelo que corresponde à idade, 0,90, apura-se um total de 170,28, ou seja, 2h50,28.

3 – como 0,28 centésimas de minuto corresponde a 19 segundos, temos o número final de 2h50.19.

Agora, é altura de cada um dos interessados fazer as suas contas perante os números aqui apresentados e se é certo que a distância de 42,195 metros, entre nós, ainda não é a mais procurada, também devemos ter presente que, mais cedo ou mais tarde, a paixão de qualquer corredor, ou seja, o maior desafio que, sem dúvida, pode encontrar, é estar presente na partida para uma maratona!

 

Retirado Revista SPIRIDON