- Publicidade -
Um dos temas que costumamos abordar em palestras é o chamado círculo vicioso da vida sedentária. Trata-se de uma sequência de eventos que acabam a acontecer quando somos literalmente vencidos pela sedução da inatividade e da preguiça. Quando diminuímos ou interrompemos a nossa atividade física habitual, é inevitável que o nosso condicionamento físico piore.
A partir daí, qualquer tarefa que exija esforço físico, mesmo tarefas laborais, começam a causar mais cansaço e a resposta, que acaba a ser até um mecanismo de defesa, é a chamada preguiça. É como se passássemos a evitar o desconforto do cansaço diminuindo ainda mais a atividade física habitual.

É muito importante que as pessoas se mantenham ativas mesmo que estejam em quarentena nas suas casas — Foto: Istock Getty Images

Esta redução de atividades provoca uma maior perda do condicionamento físico e, consequentemente, a “instalação” do ciclo vicioso da vida sedentária. O risco que corremos durante a quarentena e o “fique em casa” é exatamente a possibilidade de nos tornarmos vítimas desse ciclo vicioso. Esse é um risco real e as consequências nós já conhecemos, com comprometimento sério da saúde.

É preciso reagir a este perigo, pois uma vez instalado é cada vez mais difícil quebrar este ciclo vicioso. Os sinais vão aparecer e precisamos estar atentos. A qualidade do sono piora, os hábitos nutricionais deterioram, com um consumo cada vez maior de alimentos mais calóricos que seriam uma compensação cerebral pela má qualidade de sono. Por conta da má alimentação, a função gastrointestinal é comprometida, não sendo raros os casos de constipação. O ganho de peso e a perda de massa muscular passam a ser consequências diretas da evolução do quadro. Fica evidente o comprometimento da saúde e a vulnerabilidade imunológica é inevitável, o que neste momento é o que de pior poderia acontecer.

Por tudo isso, é muito importante que as pessoas se mantenham ativas mesmo que estejam em quarentena nas suas casas. E vamos fazer votos para que tão logo quanto possível todos possamos resgatar nossos hábitos de exercícios físicos sem maiores preocupações, sempre seguindo as recomendações das autoridades de saúde.

* As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

fonte EuAtleta.com