Tabaco e o atleta…

0

 

Numa primeira reacção, os leitores poderão interrogar-se sobre a presença do tabaco neste post, pois, sou daqueles atletas que fumaram e muito pouco, muito mesmo, o suficiente para ter a noção dos perigos e desvantagens. Então vamos a este post. As desvantagens e perigos que o Tabaco trás para quem Fuma.

O tabagismo é sabidamente um factor de risco independente importante para o enfarto do miocárdio e age de modo sinergético com outros factores de risco, como a pressão arterial alta e os níveis elevados de colesterol sanguíneo…A aterosclerose das artérias coronárias e da aorta é mais grave e extensa entre fumantes do que entre não fumantes, e o efeito relaciona-se com a dose de tabaco… factor de risco para aneurismas aórticos e arterioscleróticos… vaso espasmo coronário… acção farmacológica não controlada da nicotina, inalação de monóxido de carbono… fibrose e trombose de artéria e veia acompanhante do membro inferior.

O fumo dificulta o processo respiratório e essa dificuldade é tanto mais intensa na razão directa do número de cigarros por dia e do tempo em anos de tabagismo. Para qualquer atleta, é incompatível a associação do cigarro ao desporto. “O corpo não aguenta, não há resistência. O desempenho do atleta que fuma pode cair em mais de 30%, se comparado com quem não fuma. Então nesta perspectiva, vou 30% mais lento. Aqui temos uma desvantagem…

A redução da capacidade física pelo fumo é tão maléfica que está provado que o atleta que não fuma no dia de um jogo ou competição já tem uma melhoria no seu rendimento físico. “Até deixar de fumar nas duas horas que antecedem uma prática desportiva já representa uma pequena melhoria. É sempre bom saber ainda que a nicotina destrói parte da vitamina C, que além de suas inúmeras funções, tem importância decisiva no rendimento desportivo. Por isso, os atletas fumantes devem fazer, obrigatoriamente, uma suplementação natural ou artificial de vitamina C. Mas não se esqueça que não se deve abusar de altas doses. A alimentação com frutas cítricas, verduras, pimentão e tomate fornece boas doses dessa vitamina. Desta forma tento fazer um reforço de vitaminas.

Neste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um relatório com os números mundiais da epidemia do tabaco. De acordo com a entidade, o cigarro mata, actualmente, 5,4 milhões de pessoas no planeta e, por volta do ano de 2030, esse número alcançará a casa dos oito milhões.

O cancro do pulmão é uma doença principalmente de fumadores. Mais de 85% das mortes por cancro do pulmão são atribuídas ao tabagismo…O alcatrão do cigarro contém mais de 3.000 compostos, muitos dos quais já identificados como cancerígenos, promotores de tumores e agentes cílio tóxicos… O risco de desenvolvimento do cancro do pulmão está directamente relacionado com o número de cigarros fumados. O cancro do lábio, língua e mucosa bucal ocorrem principalmente (mais de 90%) nos consumidores de tabaco… em alguns grandes estudos sobre os efeitos do tabaco, todas as mortes provocadas pelo cancro da laringe ocorreram em fumadores.

Doenças causadas pelo Tabaco

Cancro – O fumo é responsável por 30% das mortes por cancro e 90% das mortes por Cancro de pulmão. Os outros tipos de Cancro relacionados com o uso do cigarro são: Cancro de boca, laringe, faringe, esófago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero.

Doenças Coronárias – 25% das mortes causadas pelo uso do cigarro provocam doenças coronárias tais como angina e enfarto do miocárdio.
Doenças Cerebrovasculares – O fumo é responsável por 25% das mortes por doenças cerebrovasculares entre elas derrame cerebral.
Doenças Pulmonares Obstrutivas Crónicas – Nas doenças pulmonares obstrutivas crónicas tais como bronquite e enfisema 85% das mortes são causadas pelo fumo.

Outras doenças que também estão relacionadas ao uso do cigarro e ampliam a gravidade das consequências de seu uso são: Aneurismas arteriais; úlceras do trato digestivo; infecções respiratórias… Informação retirada da Isto É: A Organização Mundial da Saúde (OMS) deu mais um golpe duríssimo contra o cigarro. Os 192 países integrantes da entidade aprovaram um tratado mundial antitabaco cujo objectivo é reduzir o número de mortes relacionadas ao produto, estimado hoje em cerca de cinco milhões de vidas perdidas por ano no mundo. Pelo menos 30% do tamanho das embalagens deverá conter alerta sobre os malefícios do fumo e os governos se comprometeram a endurecer o combate ao contrabando de cigarro, entre outras acções “Agimos para salvar milhões de vidas e para proteger a saúde das gerações futuras. A aprovação do tratado foi um momento histórico”, disse Gro Brundtland, diretora da OMS.

O porquê de não fumar:

Fumantes têm 10 vezes a mais de possibilidade de ter Cancro de pulmão;
Fumantes têm 50% a mais de  terem enfarto que os não fumantes;
Fumantes têm 5 vezes mais possibilidade de sofrer de bronquite crónica e enfisema pulmonar que os não fumantes;
Dependendo do grau de enfisema pulmonar, mesmo que o indivíduo suspenda o uso do cigarro se torna irreversível o processo (largar o quanto antes… os alvéolos uma vez danificados nunca se regeneram!);

Efeitos no Metabolismo:

O custo metabólico da respiração pode ser reduzido significativamente como resultado da abstinência. Observou-se uma redução de CO2 em apenas um dia de abstinência. Durante um exercício a 80% da Capacidade Aeróbica Máxima (VO2 máx), o custo da ventilação pulmonar representa 14% do consumo de O² em fumantes e de apenas 9% em não fumantes.

Atletas envolvidos em eventos que requerem resistência nunca fumam. Isto pode ser explicado pelo facto do fumo  do cigarro causar redução na função pulmonar e aumentar a quantidade de carboxiemoglobina, dificultando o transporte de O² do sangue.
Pesquisas apontaram uma melhoria no desempenho de nadadores, velocistas, ciclistas em geral, apenas pela abstinência ao fumo. E eles reportaram terem se sentido melhor exercitando-se em uma condição de não fumante.

Dicas para PARAR de fumar:

Preparar-se para fugir das armadilhas (colegas oferecendo, companhias que fumam, etc…);
Beber muita água;
Mastigar chicletes ou chicletes de nicotina como substituição ao cigarro;
Exercícios aeróbicos e relaxamento;
Evitar bebidas alcoólicas e café;
Escovar os dentes imediatamente após as refeições (quem fuma não tem paladar e quem fuma costuma substituí-lo após as refeições pelo cigarro);
Ficar atento a situações de stresse para não ter uma recaída;
Conscientizar-se dos males do cigarro e pensar negativamente nele, realmente enojar-se;
Pratique sempre um novo esporte (para ficar estimulado);

Métodos para PARAR de fumar:

Contrato de amigos (um ajuda o outro a parar);
Associação do cigarro com a aversão;
Diminuição controlada com Cardiologista;
Hipnose;
Acumputura;
Apoio social (grupos específicos);
Auto Ajuda;
Auto monitorização (lista de actividades e momentos que mais fuma);
Acompanhamento psicológico;

Efeitos: Nos olhos, o fumo produz a ambliopia tabágica, que representa a debilitação do sentido da visão e distorção do ponto de foco visual. Quanto ao olfacto, o fumo irrita a mucosa nasal e distorce a função olfactiva
Na boca o cancro dos lábios, língua, além de enfermidades nas gengivas, incluindo até perda de dentes. Na laringe, o fumo dilata as cordas vocais, e produz rouquidão, não sendo raro o câncer nesse local derivado do uso do cigarro.

Nos pulmões, a sucessão de enfermidades produzidas pelo hábito de fumar é notória: enfisema, bronquite, asma e o mortal câncer pulmonar. No aparelho circulatório ocorrem o aumento da pressão arterial, obstrução de vasos sanguíneos, aumento de colesterol, todos factores conducentes a ataques cardíacos. Nos órgãos digestivos o fumo produzi a úlcera péptica dado o aumento da acidez, além de distúrbios vários no duodeno, e câncer do estômago. No útero, ocorre aceleração das batidas do feto. Os bebés nascem com menos peso e ocorre probabilidade maior de nascimentos prematuros.

Nos órgãos urinários pode ocorrer o adenocarcinoma, uma forma de câncer. A qualidade do leite materno é afectada para a mãe fumante, pois substâncias tóxicas são transmitidas à criança, o que lhe causa irritabilidade e transtornos digestivos. Também o hábito de fumar tende a diminuir a quantidade de leite.

Componentes do cigarro:

Na fumaça do cigarro já se isolaram 4.720 substâncias tóxicas, as quais actuam sobre os mais diversos sistemas e órgãos; Contém mais de 60 cancerígenos, sendo as principais:
Nicotina – é a causadora do vício e cancerígena;
Benzopireno – substância que facilita a combustão existente no papel que envolve o fumo;
Nitrosaminas;
Substâncias Radioactivas – polónio 210 e carbono 14;
Agro tóxicos – DDT;
Solventes – benzeno;

Metais Pesados – chumbo e o cádmio (um cigarro contém de 1 a 2 mg, concentrando-se no fígado, rins e pulmões, tendo meia-vida de 10 a 30 anos, o que leva a perda de capacidade ventilatória dos pulmões, além de causar dispneia, enfisema, fibrose pulmonar, hipertensão, câncer nos pulmões, próstata, rins e estômago);

Níquel e Arsénico – armazenam-se no fígado e rins, coração, pulmões, ossos e dentes resultando em gangrena dos pés, causando danos ao miocárdio etc..;
Cianeto Hidrogenado;
Amónia – utilizado em limpadores de banheiro;
Formol – componente de fluido conservante;
Monóxido de Carbono – o mesmo gás que sai dos escalamentos de automóveis, e como tem mais afinidade com a hemoglobina do sangue do que o próprio oxigénio, toma o lugar do oxigénio, deixando o corpo do fumante, activo ou passivo, totalmente intoxicado.

VENCENDO O CIGARRO

Há alguns anos, foi realizado um estudo para avaliar a capacidade viciante das drogas mais comuns. Ao analisar os questionários a partir de padrões internacionais de Saúde Mental, os pesquisadores descobriram que 15% dos usuários regulares de cocaína poderiam ser considerados viciados na droga.

Utilizando os mesmos critérios, 90% dos adultos e 87% dos jovens que fumam pelo menos uma vez ao dia também preencheram a classificação de Vício. A conclusão da pesquisa? A nicotina vicia tanto quanto a cocaína. Ou até mais.

Sim, não é fácil vencer o cigarro. Mas isso não significa que seja impossível. Metade dos adultos que tentam de verdade, consegue. E o segredo deste sucesso, que não é nada do outro mundo, pode ser resumido em 3 passos simples:

FAÇA SUA LISTA E PARE DE VEZ.

É por causa da sua saúde? Quer reassumir o controle sobre sua vida? Ser um exemplo para seus conhecidos? Faça uma lista dos seus motivos e cole-a na porta da geladeira, consultando-a várias vezes ao dia. No dia seguinte, pare de fumar.

Mais de 90% de todos os ex-tabagistas pararam por conta própria, sem acupunctura, antidepressivos, adesivos ou chicletes de nicotina. Simplesmente decidiram. E pararam.
Não se engane com a conversa de que você começou a reduzir o número de cigarros, está parando pouco a pouco e que isto demonstra seu controle sobre o vício. Na verdade, isto demonstra, sim, o total controlo do Vício sobre você, e provavelmente logo estará fumando a mesma quantidade de antes. Pare de uma vez só.

AGUENTE FIRME OS PRIMEIROS 10 DIAS.

Ao abandonar o cigarro, você poderá sentir irritabilidade, ansiedade, insónia, tremores, fadiga, dores de cabeça, tosse, sensação de garganta seca, constipação intestinal, azia, gastrite e coriza. Estas manifestações fazem parte dos sintomas de Abstinência causados pelo corte no fornecimento de nicotina.
As primeiras 72h são as mais críticas: algumas pessoas chegam a experimentar uma crise de abstinência a cada 2-4 horas. Apesar de incomodas, as crises duram apenas de 3 a 5 minutos mais ou menos o tempo que você levaria para fumar um cigarro.

Cerca de 4 dias após o último cigarro, mais de 90% de toda a nicotina acumulada em seu corpo terá sido eliminada, e os sintomas da abstinência diminuirão bastante. Por volta do décimo dia, as crises de abstinência se tornarão quase imperceptíveis.

Para lidar com a Abstinência, você deve manter uma alimentação regular, consumir bastante suco natural de frutas e procurar actividades que lhe distraiam, como jardinagem, ouvir uma música calma, arrumar seus CDs ou o guarda-roupa, sair para uma caminhada, tomar um chá de camomila, etc. Lembre-se sempre que, apensar de desconfortáveis, os sintomas da Abstinência são temporários, mas as lesões causadas pelo cigarro serão para sempre.

MANTENHA A MEMÓRIA ACESA.

Aproximadamente 90 dias após parar de fumar, sua capacidade pulmonar terá aumentado 30%! Atletas trabalham a vida inteira para conseguir resultados que são uma mínima fracção disso. Após 10 anos sem cigarro, o risco de você morrer por câncer nos pulmões é praticamente o mesmo da população em geral. Mas manter-se livre do cigarro é um compromisso de honra para toda a vida.

A memória é traiçoeira e você pode terminar esquecendo o que lhe levou a parar de fumar. Não deixe que isto aconteça. Consulte diariamente sua lista de motivos. Escreva uma nova quando a antiga estiver desbotando. Evite consumir qualquer forma de bebida alcoólica, pelo menos durante os primeiros 3-6 meses: a bebida irá reduzir sua capacidade de auto-crítica, aumentando risco de um deslize.

Muitas rotinas inocentes podem desencadear aquela vontade irresistível de fumar. Falar ao telefone, dirigir, tomar café, discutir, trocar um pneu furado…. os sintomas de abstinência podem se insinuar onde você menos espera. Resista sempre e concentre-se em avançar 60 minutos por hora, 24 horas por dia, um dia de cada vez. Bilhões de pessoas já passaram por isso e venceram.

Você também consegue.

Bons Treinos