- Publicidade -

O Palácio Nacional de Mafra, abriu as suas portas para o Trail d´EL Rei, visitando espaços habitualmente interditos ao público. Para além da passagem por espaços deste magnifico edifício, os trajetos percorreram, ainda, o Jardim do Cerco e a Tapada Nacional de Mafra, espaços recentemente eleitos, pela UNESCO, como Património da Humanidade.

Estiveram reunidos os ingredientes para um evento único e o Rei D. João V não faltou à chamada, dando a partida do evento, acompanhado da sua corte e dos Frades Franciscanos.

Um pouco da história do início do Palácio/Convento de Mafra:

  1. João V, o “Rei Magnânimo”(1706-1750), mandou construir um Palácio-Convento na Vila de Mafra em cumprimento da promessa que fez, caso a Rainha lhe desse descendência. Este grandioso monumento, construído numa época de grande prosperidade real em resultado da exploração de ouro e diamantes do Brasil, constitui uma obra-prima do Barroco Português. A primeira pedra da construção do edifício foi colocada dia 17 de Novembro de 1717.

A prova teve um percurso com 12 km de distância com partida em frente do Palácio Nacional de Mafra, que levou os participantes  a passar pelo Jardim do Cerco e pela Tapada de Mafra (sob jurisdição da Escola de Armas), com regresso ao Palácio, com passagem pelo interior do Convento de Mafra.

No final do evento, havia um Chá Real (bem quentinho) e bolinhos servido para todos os participantes, nos claustros norte do Palácio Nacional de Mafra.

Existiu também uma Caminhada, sem fins competitivos e com igual distância do trail que teve como o objetivo a prática desportiva na natureza, dar a conhecer a região e promover o salutar convívio entre os participantes.

Iniciou-se a prova às 09.30, tal como previsto, apesar da chuva que se fez sentir ainda mesmo antes do início e que se manteve praticamente durante toda a prova. O percurso foi realizado essencialmente por trilhos e caminhos em terra, com muita lama á mistura, atendendo a chuva, decorrendo integralmente nos espaços recentemente nomeados Património da Humanidade, uma beleza sem igual, onde se pode visualizar a flora existente, nas passagens pelos trilhos. Foi uma oportunidade única para aceder a locais habitualmente interditos ao público, que me possibilitou uma experiência única.

A subida maior, fez se com alguma dificuldade atendendo à lama existente, vi no final da mesma que havia uma corda, mas que estava praticamente coberta de lama, quase invisível a olho nu.

A organização assegurou um abastecimento de líquido e sólidos a meio do percurso. Apesar do tempo e do piso enlameado, a envolvência e a simpatia e disponibilidade de todos os voluntários fez com que a prova tivesse decorrido bem.

Chegados à meta os primeiros atletas, realizou-se de imediato a cerimónia de entrega de prémios, aos três primeiros classificados masculinos e femininos. A meu ver faltou uma lembrança finisher a todos os que terminaram a prova, uma vez que a mesma tinha cariz competitivo, também se tornaria mais apetecível o esforço. Ou prémios atribuídos por escalão também.

Foi possível tomar um duche nos balneários no Parque Desportivo, ainda que a cerca de 2km do palácio, o que fez com que arrefecêssemos um pouco e nos fez deslocar de transporte/carro todos molhados e enlameados, com a agravante que o parque de estacionamento ainda era distante dos balneários.

De um modo geral a prova rolou bem, pelo menos para mim, que estava com enorme receio da lama.

Foi visível o esforço e trabalho empreendidos pela organização, que desde já enalteço, na procura do melhor percurso. Foram alguns os trilhos “abertos” para o evento, os atletas chamados a um trajecto muitas vezes decalcado na serra, sem carreiro ou trilho natural. O percurso estava impecavelmente marcada, com as mudanças de direcção sem deixar margem para enganos.

Termino com a lista dos participantes representando a equipa “aminhcorrida” e com um agradecimento à organização e a todos os parceiros que tornaram este evento possível com o sucesso alcançado.

Susana Costa – 2º. Lugar F45

Lisete Ramalho – 1º. Lugar F50

Catarina Figueiredo – 2º. Lugar F50

 

 

 

Susana Costa