Treinar pela manhã pode melhorar desempenho no trabalho

0

Há muitas boas razões para treinar pela manhã: até desperta,  tem menos distrações e ainda dorme melhor à noite. Agora  pode adicionar mais alguma coisa à lista: pode melhorar o seu desempenho no trabalho.

Uma nova pesquisa publicada no British Journal of Sports Medicine descobriu que o exercício matinal ajuda o cérebro a trabalhar melhor durante todo o dia.

O estudo “Brain Breaks”, conduzido pelo Instituto Baker Heart and Diabetes Institute e pela The University of Western Australia, examinou como o tempo de exercício afetou o desempenho cognitivo em 65 idosos saudáveis ​​com idades entre 55 e 80 anos.

Os pesquisadores dividiram os voluntários em três grupos. Um grupo ficou sentado durante 8 horas por dia. Outro ficou sentado por uma hora, depois se exercitou por 30 minutos. Por fim, ficou sentado por mais 6 horas e meia. Já o terceiro grupo sentou-se por uma hora, exercitou-se por 30 minutos e depois levantou-se a cada 30 minutos durante o dia para andar por 3 minutos.

Para ver a relação entre exercícios – ou a falta dele – e a função cerebral, foram realizados testes de desempenho cognitivo. Então os níveis de Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF) dos participantes foram medidos. Esse Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro é uma proteína que atua na sobrevivência das células cerebrais ao longo do dia.

Pequenas mudanças, grandes resultados

Acontece que mesmo a curta sessão matinal de exercícios teve grandes resultados. Todos os que se movimentaram de manhã apresentaram melhor desempenho nos testes, em relação aos grupos sedentários. Esses exames incluem coisas como tomada de decisões, atenção e organização, planejamento e priorização.

Aqueles que fizeram pausas para caminhar também se saíram melhor que os outros dois grupos nos testes de memória.

Ambos os grupos que exercitaram também viram seus níveis de BDNF aumentarem e permanecerem elevados durante as 8 horas. Entre os colegas que ficaram sentados, por sua vez, os níveis diminuíram.

“Este estudo destaca como mudanças relativamente simples na sua rotina diária podem ter um benefício significativo para a sua saúde cognitiva”, disse o autor do estudo, Michael Wheeler, em um comunicado. “Também revela que um dia poderemos fazer tipos específicos de exercícios para melhorar habilidades cognitivas específicas, como memória ou aprendizado.”

Ainda segundo Wheeler, embora esses resultados sejam entre pessoas de 55 a 80 anos, jovens adultos também devem se beneficiar.  “Pode haver um efeito combinado de exercícios prolongados e períodos prolongados de descanso na cognição.”