Trilhos de Mértola 2019, por Ana Amaro e Carla Tabaio

0
- Publicidade -

Decorreu ontem, dia 2 de março de 2019, os Trilhos de Mértola. Este evento foi promovido pela Câmara Municipal de Mértola e organizado pelo Clube de Futebol Guadiana. Os atletas tinham várias opções consoante os seus objetivos e a sua condição física: uma caminhada de 9 quilómetros (km), um trail curto de 12 km, um trail longo de 26 km e um ultratrail de 46 km.

Todas as provas tiveram como cenário a belíssima Vila de Mértola e o Parque Natural do Vale do Guadiana.

A prova de 46 km, na qual participámos, teve início às 8h30min, na localidade de Mesquita (para onde foram transportados os atletas em autocarros disponibilizados pela organização), onde os habitantes, ainda em pijama e roupão, espreitavam com curiosidade os corajosos atletas que iriam percorrer 46 km de volta a Mértola.

A receção foi no edifício de uma antiga escola primária, onde os atletas puderam resguardar-se do frio e comer e beber o que a organização colocou ao seu dispor.

A prova iniciou-se num clima bastante alegre e lá partiram os atletas cheios de curiosidade para o que iriam encontrar ao longo do percurso. Pelo caminho, depararam-se com muitas escarpas, trilhos que tinham tanto de belo como de duro, ribeiras, caminhos… paisagens deslumbrantes quase sempre com o rio Guadiana como pano de fundo.

A paisagem do Vale do Guadiana é de uma beleza difícil de descrever, só mesmo vendo ao vivo. Os trilhos ao longo das margens do Guadiana, numa zona completamente selvagem, encanta qualquer amante da natureza. Apesar da exigência do percurso, que graças ao excelente trabalho da organização estava irrepreensivelmente muito bem marcado, e ao facto do terreno muito rochoso que exigiu uma atenção redobrada por parte dos atletas, a beleza que nos rodeava, atenuou bastante as dificuldades sentidas. O simples facto de subir/ escalar uma grande ladeira e apesar do cansaço conseguir ouvir lá no fundo, no rio, as rãs a coaxar, torna sem dúvida a íngreme subida bem mais fácil! E que se desengane quem  pensa que o Alentejo é uma planície! Também se deixaram ver algumas aves como garças reais e cegonhas brancas que nos faziam sentir embrenhados na natureza.

A organização foi excelente: os abastecimentos com tudo aquilo que é essencial, água e isotónico nunca faltou, assim como a fruta, a marmelada, o sal e o tomate, os bolinhos… Os voluntários sempre prontos a ajudar e a dar uma palavra de apoio e incentivo, tendo-se notado também um ótimo trabalho de envolvimento da população local como staff de apoio. Tal como já foi referido anteriormente, as marcações nunca colocaram em dúvida qual o caminho a seguir. Enfim… estamos no Alentejo e isto diz tudo! A arte de bem receber está sempre presente!

O nosso obrigado, pessoalmente e enquanto equipa, aos mentores deste projeto. Recomendamos vivamente esta prova a todos aqueles que são amantes do verdadeiro trail: zonas muito técnicas, quase sem estradão juntando a tudo isto uma beleza natural.

A equipa Aminhacorrida esteve presente com cinco ateltas:

No Ultratrail: Ana Amaro, 1.ª do escalão F40; Carla Tabaio, 4.ª do escalão de Séniores e José Amaro 15.º no escalão de M40.

No Trail Longo, a atleta Maria Magro alcançou o 5º lugar no escalão F45.

No Trail Curto, o atleta Bruno Tabaio alcançou o 33.° lugar no escalão de Séniores.