TRILHOS DO JAVALI 2017 / Carla Fernandes

0

Mais uma edição dos Trilhos do Javali ocorreu no passado sábado, 9 de Dezembro, na bela Serra da Arrábida (Setúbal) e A minha corrida não poderia deixar de estar presente.

Estes trilhos foram compostos por diversas provas: corridas de 15km e de 25km, caminhada de 10km e trilhos júnior. Esta é uma organização que envolve as crianças e que tem também uma preocupação em entretê-las, o que é óptimo para os pais que se dedicam à corrida.

À chegada, facilmente nos foi indicado o local de levantamento dos dorsais, que foi muito expedito, tendo os participantes dos 25km tido direito a uma mochila e uma garrafa “Ti Bento”. Próximo da hora da partida, os atletas tiveram direito a uma pequeno briefing, no qual foi explicada também a junção das partidas dos 15 e 25km.

A prova de 25km teve um acumulado de 983m, não atingindo os 25km totais. No fim, tivemos direito a uma medalha de participação, uma sopinha quentinha, pão e bebida para acompanhar.

Esta foi uma organização em parceria da Associação de Moradores do Casal das Figueiras (AMCF), da Associação de Atletismo Lebres do Sado, da Associação Outdoor Clube de Setúbal e do Clube União Futebol Comércio Indústria – Atletismo.

Carla Fernandes – Testemunho

Cheguei a esta prova com uma incerteza: será que consigo acabar? Já tinha feito um trail de 26km antes, mas foi há um ano e agora não estou em grande forma. Mas tinha-me comprometido a ir e fui com uma mentalidade de “devagarinho tudo se faz”. Assim, à chegada lá me equipei com a minha camelback e despejei parte da quantidade de água enorme que tinha, que fazia que pesasse imenso, pois alguém me disse “não vais uma semana para o deserto…”!. E era verdade, havia abastecimentos (2) e ainda sobrou meio litro de água. Algo a rever para a próxima prova do género. Géis a postos, todo o material obrigatório confirmado e lá fomos nós para a Associação de Moradores do Casal das Figueiras. Aqui deparei-me com o calvário habitual em muitas provas: a fila para o wc… Sim, nós mulheres temos uma bexiga muito pequenina, não temos as facilidades do género masculino, e a minha deve ser do tamanho de uma ervilha, portanto lá estive na fila interminável. Não é má de todo, até porque aí encontram-se sempre colegas de corrida de outras paragens. É um bom ponto de encontro, vá! Mas eu peço sempre mais WC’s para a mulherada, pois cada vez são mais as mulheres que participam em provas de corrida.

Dada a partida, soltámos o javali que há em nós. Nós, os dos 15km e nós, os dos 25km. O que até está bem pensado, porque os que correm mais dos 15 e dos 25 vão à frente e os que correm menos vão atrás. O problema foi esta gente toda num single track. Pois, aí foi um bocadinho chato para alguns, pois ouvi queixarem-se de estarem basicamente parados. Eu não, que sempre foi uma oportunidade para descansar e não ser eu a causadora do abrandamento. Sabe sempre bem um descansinho e a paisagem da serra é lindíssima.

Destaco as marcações! Ótimas! Espetaculares! Sem margem para dúvidas! Os meus parabéns! Se no ano passado quando fiz os 15km me perdi duas vezes, este ano acho que nem que quisesse me conseguiria enganar. As fitas personalizadas, as marcas brancas no chão, o staff… não havia margem para erro. Obrigada!

Houve muita subida, muita descida e como não podia deixar de faltar, uma boa água até ao joelho para refrescar. Como em muitas provas que vou, aconteceu aquele momento de “amigo de corrida”. Aquele momento que incentivas alguém a correr só mais um bocadinho, que “agora já é plano!” e naquele momento nos tornamos os maiores amigos do mundo! Não nos conhecemos de lado nenhum, nem sabemos os respetivos nomes, mas durante os quilómetros seguintes somos a força um do outro. Assim, não deixo de dar o meu agradecimento ao colega da subida dos 8km, que me acompanhou durante os quilómetros seguintes, mas que numa outra subida nos perdemos.

Nos momentos sozinha cantava para mim “de-va-garinho, de-va-garinho, de-va-garinho,,,”. E lá consegui. Acabei os 25km, com uma sensação mágica! Que “de-va-garinho” se consegue tudo. Os “devagarinhos” de uns são mais rápidos que os “devagarinhos” de outros, mas cada um com o seu!

 

Classificação